Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

domingo, março 27, 2005

Uma hora

Ontem postei um texto com o título: "A noite mais curta".
Recebi um comentário que dizia: "O que é uma hora na eternidade da vida, hemmm!!!!".
A coisa deixou-me pensativo.
Mas, após alguma reflexão, concluí que uma hora pode ser muito importante. Mesmo uns minutos ou breves segundos.
Quanto tempo demoramos a nascer, a sair do ventre, a começar a respirar autonomamente?
Quanto tempo demora o primeiro beijo?
E, muitas vezes, quanto tempo é preciso para ficarmos apaixonados? Por uma pessoa, por uma melodia, por uma paisagem, por um lugar, por um autor, por um poema, por uma tela, por um animal, por uma flôr?
E um encontro sexual daqueles inesquecíveis?
E a leitura de uma carta que nos altera completamente a vida?
E uma discussão que mata uma relação de muitos anos?
E um acidente que nos deixa deficiente? Ou nos deixa em coma?
E, quantas vezes, a morte é mais rápida que um relâmpago?
Acho que a lista seria interminável!
O que conta, de facto, não é o intervalo de tempo mas sim o que durante esse momento vivemos. As marcas que nos deixou. A importância que teve nas nossas vidas.
Estou satisfeito!
Em menos de uma hora reabilitei uma hora que durante umas horas me pareceu insignificante.

15 Comments:

Blogger Malae said...

como costuma dizer uma amiga frequentemente, o tempo é o que fazemos com ele. bonito texto, amigo António. aliás, como sempre:) Beijinhos e boa semana. Malae**************

9:08 da tarde  
Blogger Karamelisses said...

Eu deixo outra pergunta... Quanto tempo demora o pensamento que nos ruma a vida??? Quantas vezes decidimos o que fazer na vida em segundos???

E já agora... deixo aqui uma letra do Zé Pedro e que é uma mésica dos Xutos & Pontapés que se intitula "Queimando Tempo":

"O tempo, é dificil conjugar o tempo
Faz tempo que não penso muito em mim
Bom tempo, quando eu consigo estar aí
A tempo, quero eu chegar mas já não tenho tempo

Queimando tempo
Perdendo tempo
Esticando tempo
Eu já tenho tempo

O teu tempo vai passar
Aproveita tudo o que há em ti

Com tempo, irei fazer o que não fiz
Sem tempo, ninguém consegue ser feliz
Mau tempo, nuvens, chuva, molha, seca
A tempo, quer eu chegar mas já não tenho tempo

Queimando tempo
Perdendo tempo
Esticando tempo
Eu já tenho tempo

O teu tempo vai passar
Aproveita tudo o que há em ti"

Um beijinho para todos!!!

PS: Tomei a liberdade, sem pedir autorização, de deixar o link deste blog no meu cantinho!!!

10:51 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

OIe!!!
É mesmo... tudo é importante... o problema é que as pessoas não dão atenção as coisas por acharem insignificante... Mas são nelas que temos as melhores experiências...
Um beijão!!!

11:18 da tarde  
Anonymous Andréa said...

Olha... esqueci de colocar meu nome.... hehehehehe... Bjussssss

11:19 da tarde  
Blogger Nora Borges said...

Antônio, o Língua de Mariposa vai mudar de endereço e também de template. Vai ser azul claro e acho que assim você vai ler melhor.
Depois da mudança venho aqui te perguntar, vale?
Um abraço.
Ps. O assunto da hora perdida daria um mundo de posts. Este está muito bom.

6:12 da tarde  
Anonymous Xinha said...

Muito bonito este pensamento! :)

Xinhos

6:23 da tarde  
Blogger Viuva Negra said...

estou muito contente que uma frase minha tenha dado origem a talPost , que por sua vez esta divinal...
concordo com tudo uma hora pode ser tudo , um segundo pode ser a diferença da vida e da morte da tristeza e da alegria o importante é como se vive a vida e o que ela tem para nos dar, no entanto nao se pode viver a vida como se fosse o ultimo minuto!!! simplesmente adorei a perspectiva, delicioso

8:37 da tarde  
Anonymous Caiê said...

Uma história curiosa sobre as coincidências temporais... A neta nasceu no dia em que a avó morreu, e a mãe morreu no dia do aniversário dessa mesma filha, vários anos depois... é verídica. O tempo é algo de muito estranho...

2:04 da manhã  
Anonymous BlueShell said...

Ó homem...vi-te no Micróbio...e resolvi vir...
Ia ficando deprimida, carago! Mas depois reflecti e vejo que tens razão...há que pensar melhor na nossa gestão do tempo. Te gostei. Jinho, BShell

11:53 da manhã  
Blogger Paula said...

Meu querido amigo... mais uma vez adorei ler o teu texto.... delicio-me nas leituras do teu blog... quando presentearás o público geral com as tuas prosas e reflexões? Fico à espera....
E.. já agora... alguém dizia: Acrescenta vida aos teus dias e não dias à tua vida! ...
E é uma profunda verdade!
Beijocas lindo e obrigada pela força que me transmites sempre!
Tareca

8:51 da tarde  
Blogger Gado Bravo said...

O tempo é o que fazemos dele. Todos os minutos e segundos são parte da nossa vidinha efémera. Há que apaparicá-los para não nos arrependermos de nada, se possível ;)

2:41 da manhã  
Anonymous betania said...

António, mas que artigo deveras interessante...já o li e reli e ainda continuo a pensar nele e a meditar nos variadíssimos aspectos que focas.

Tens que explorar mais essa tua mente porque tens talento para "viajar".

Beijinhos
betania

11:51 da manhã  
Blogger dinorah said...

Uma hora para a formação de um granito não é absolutamente nada, mas uma hora a ouvirmos uma conferência chata parece-nos interminável!!

"O tempo é um carro novo, sem a marcha atrás" (Donna Maria)

O tempo é aquilo que fizermos com ele!
um bj

11:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

o tempo é a sociedade.Ana Mª Costa

3:57 da tarde  
Anonymous Topazio said...

O que me faz chegar à conclusão que tempo não existe...nós é que o criamos!!!!
um sopro

3:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home