Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

quarta-feira, junho 29, 2005

O Senhor Engenheiro

Podem ter acesso à minha Homepage (ou Página pessoal ou Webpage) a partir deste blog.
Quem já a visitou, pode ter lido que este vosso amigo licenciou-se em Engenharia Química, tendo feito a última cadeira em Outubro de 1972 mas, só depois de efectuado um estágio obrigatório de três meses é que me foi concedida a licenciatura. A certidão respectiva tem data de oito de Março de 1973.
E pensam que depois de ter o canudo – efectivamente tenho o diploma à moda antiga, feito à mão, escrito com letra gótica (?), em latim, sobre pergaminho e com um medalhão em prata pendente – passei a ter o direito de usar o título de Engenheiro?
Não!
Para isso é preciso estar inscrito na Ordem dos Engenheiros.

Conheço o caso de um velho professor catedrático que, atingida a idade própria, salvo erro os setenta anos, jubilou.
Era membro da Ordem mas, em face da nova situação, escreveu para lá a dizer que não pretendia continuar como associado.
Pois não querem saber que, alguns dias depois, recebe uma carta a dizer que o seu pedido de demissão tinha sido registado, mas lembrando-lhe que a partir desse momento não poderia usar mais o título profissional de Engenheiro?
Como pessoalmente nunca tive interesse nenhum em inscrever-me nessa associação, nunca tive direito a usar o título profissional.
Na prática, todavia, todos os licenciados são chamados de “Senhor Engenheiro”.
E não só. Os Engenheiros Técnicos também. E muita mais gente.
É de todos sabido a apetência que há por uma grande parte dos nossos compatriotas em ser chamado por Senhor Engenheiro ou Senhor Doutor (ou no feminino, claro está).
Na empresa onde trabalho, nomeadamente os fornecedores, tratam quasi toda a gente por Engenheiro. Quer o seja, quer o não seja. E não é que até hoje, só conheci uma pessoa que, perante tal “promoção”, dizia:
- Eu não sou engenheiro. Gostava muito de o ser, mas não sou, de facto – e soltava uma sonora gargalhada.
Todos os outros calam-se muito caladinhos e lá vem as cartas, os faxes, os e-mails, os telefonemas dirigidos ao Senhor Engenheiro Malaquias ou Barnabé que, muitas vezes nem um curso técnico completo tem.
Acho que isto revela bem a importância de se ter um título em Portugal.
Muitas vezes, quando telefono para determinado destino, depois de dizer o meu nome (Castilho Dias, nunca usando o título) a menina pergunta:
- O senhor é Engenheiro?
Naturalmente que eu respondo afirmativamente.
Pois nem imaginam como as deferências se multiplicam. E agora já não tanto, mas há vinte ou trinta anos, até metia dó.
Mas quero dizer-vos que tenho muito orgulho em ter feito o meu curso. Deu-me muita canseira e muito trabalho.
E até sabe bem ser tratado pelo título. Mas nunca fiz questão em ser chamado como tal. Quem quiser chama, quem não quiser não chama.

Bom!
Vinha isto a propósito de eu não poder usar oficialmente o título profissional.
Acontece que, por razões do interesse da empresa onde presto os meus serviços, recentemente pediram-me para me inscrevesse na Ordem.
Respondi que se a empresa tinha vantagem nisso eu estava disponível a inscrever-me, desde que a entidade patronal tratasse de tudo e tudo pagasse.
E assim foi feito.
Já recebi uma carta a dizer qual o meu número de membro da Ordem.
Portanto, minhas amigas e meus amigos, a partir deste momento muito respeitinho pelo Senhor Engenheiro.

26 Comments:

Blogger Loucura said...

Ah muito bem senhor engenheiro!
Mas é totalmente verdade o que dizes. Em determinadas situações parece que e necessario puxar pelos galoes para se ser ouvido e isso acontecia por vezes tambem com o meu pai. Ele era do exercito, era capitão. Quando tinha de ir tratar de papeladas e nao dizia o posto que tinha atendiam-no assim quase a força. fazendo a pergunta "entao e o seu posto é...." ja era sorrisznhos e tal. É o pais que temos. há que ter um determinado status em determinadas ocasioes. Pessoalmente nao ligo nada a isso. tao depressa respondo bem a senhor engenheiro ou senhor doutor como a uma empregada.
Bem ja vai algo longo o comentario. Um beijinho

11:24 da tarde  
Anonymous milocas said...

Corrige-me se estou errada, mas para oficialmente ser Engenheiro, não basta estar inscrito na Ordem, já a que a tal, exige para isso, um estágio requerido á própria e respectiva apresentação, ou a apresentação por iniciativa do requerente de tal estatuto, de um estágio profissional de 2 anos com a respectiva apresentação, sendo que após esta burocrática avaliação, já podes auto-intitular-te de Engenheiro...mas posso estar enganada ;)

Tou inscrita na Ordem, como membro estudante, apenas porque beneficio de descontos de interesse, em conta com o que pago, que é pouco comparando com os membros normais.

1:12 da manhã  
Blogger a_guerreira said...

Olá! É sempre um prazer ler este blog, de ir descobrindo as pessoas, os acontecimentos que não estão registados num livro de história, mas que compõem a história do nosso Portugal. E também fico contente de ser a terceira pessoa a escrever (e não a 23ª como de costume). Sou Licenciada em Engª de Materiais, e não estou inscrita na Ordem. Também pensava que é necessário fazer um estágio de admissão. Tenho de me informar melhor. Em relação ao "estatuto", não gosto que me tratem por engª, menos ainda quando me chamam "doutora". Apenas uso o primeiro nome, independentemente de estar a falar com o reitor ou com a empregada da limpeza(trabalho na universidade onde me licenciei). Mas reconheço que, infelizmente, no nosso país, se dá muita importância ao título. Espero que lentamente, e por existirem pessoas que não gostam dessas "tonterias", o quadro se altere. Um abraço e continue a escerever.

2:34 da tarde  
Blogger wind said...

Sim Sr. Engenheiro,:) Muito bem escrito, para variar;)

7:43 da tarde  
Blogger António said...

Para a "milocas" e a "a_guerreira":
Já fui dar uma resposta aos vossos blogs.
Mas como me parece interessante que as outras pessoas saibam o que respondi, aqui deixo o teor do que já vos disse:
Como sou um velho carcaça com quasi 30 anos de profissão (e apesar de eu não ter tratado de nada), parece que só foi preciso apresentar o meu curriculum e uma declaração do meu chefe a dizer que sou um gajo de categoria...eh eh eh

10:19 da tarde  
Blogger lazuli said...

Com que então o senhor engenheiro andava praí a exercer sem título, não era? :)

4:02 da manhã  
Blogger Bárbara Vale-Frias said...

Exmo. Senhor
Eng. António Castilho Dias,

Venho, por este meio, felicitá-lo pela atribuição do número de Engenheiro! :) O reconhecimento estava mesmo traçado no destino! ;)

O meu diploma (não em Engenharia Química mas em Química Aplicada) não veio com letra gótica, nem feito à mão, nem em latim, nem em pergaminho, nem com medalhão pendente! Que inveja do do meu pai! O meu é simplesmente uma impressão a computador que nem veio numa daquelas caixas cilíndricas (devem ter um nome...) :(

Quanto à designação de Dra., desde o 4º ano da faculdade que assim me tratam pois quando comecei a dar aulas, com 21 anos!, deixei de ser só a Bárbara... Sôtora para aqui e Sôtora para ali Loooool

Enfim... Mas o pior é quando uma pessoa é licenciada e exige que assim o tratem. Ainda é mais ridículo, não é? Mesmo que se tenha essa preferência, há maneiras subtis de se conseguir isso.

Bjs.

8:11 da manhã  
Blogger Malae said...

Caro amigo... Engenheiro! eheheheh Então, parabéns pela nova promoção! Tenho-te que te dar razão na opinião sobre os titulos! Tinha um professor meu que dizia que qualquer dia em Portugal se colocaia Doutor Qualquer Coisa nos BI's. Humm... a mim já pouco me espanta! Esse certificado... bem gostaria que o meu assim fosse! Mas não... qualquer coisa a computador... e paga lá 30 contos! E num Faculdade pública! Enfim...

Já viste?! Os teus textos são sempre tão bons que não há como ão me esticar a comentar :P ehehehe

Boa fim de semana, amigo António! Beijinhos muito grandes. Malae**********

2:01 da tarde  
Anonymous azul said...

Exmo.Senhor António Castilho Dias Digníssimo Engenheiro,Engenheiro MESMO!!!
Foi com renovado gosto que te voltei a ler!
É sempre deliciosa a forma como tão bem " apanhas " as situações do nosso quotidiano.
Esta coisa dos títulos inventou-se assim a modos de todos a poderem usar,quer se seja, quer se não seja.Aqui no meu sítio( e só porque sou a e.p.) tratam de me dar a "graça" de Doutora ou Engenheira a torto e a direito.Não me esforcei para tal por opção, portanto presenteio-os com um convicto: Não sou nem uma coisa nem outra.
Na maior parte dos casos tenho como resposta:Mas parece!
Parabéns ao que para tanto se esforçaram, e faço votos que os que não são,encontrem pacotes de dignidade e coragem(a bom preço) num qualquer hipermercado.Infelizmente, conheço TANTOS!!!

3:38 da tarde  
Blogger Caiê said...

Senhor Engenheiro!
Folgo em saber!
Isto dos títulos, é uma seca... Eu sou Mestre e ninguém me trata como tal, excepto em ocasiões oficiais, na Academia. Mas se queres que te diga, acho um título muito tolo. Mestre é o senhor que vem cá fazer as obras, diria a minha avó! LOL LOL

4:44 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Exmo. Senhor
Eng. António Castilho Dias

Muitos parabéns! pois com muita graça contou este episódio (como sempre)e com louvável desempenho, aliás , não se esperava menos do Senhor Engenheiro :))

Beijinhos

7:45 da tarde  
Anonymous Dora said...

Não sabia de todo essa cerimónia que envolve o uso do "título" de Engenheiro...Parabéns pelo post, tão lúcido! Um beijo e bom fim de semana :-)

9:09 da tarde  
Blogger António said...

Para "azul":
Ó menina!
Já hoje conversamos sobre estas questões.
Agora só quero perguntar:
Para quando o blog?
(sou muito chato, não sou?)
Jinhos

10:27 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

Ora bem Sr. Engenheiro, V. Exª. não se esqueça de pagar pontualmente as quotas da Ordem...
eheh

;)

11:30 da tarde  
Anonymous milocas said...

Caro António (Senhor Engenheiro), claro que o teu curriculum dá provas dos tais requesitos exigidos pela ordem... quis apenas explicar que não é só inscrever e já tá. :)
E claro, Viva os Engenheiros (com ou sem título), porque sem eles, de que era feito o mundo?!
Uma Beijoka*

12:27 da manhã  
Blogger Betty Branco Martins said...

Agora és só António!

És um querido e tu sabes porquê! :)

B.F.Semana

Jinhos grandes

12:28 da manhã  
Anonymous guevara said...

Sabes que noutro dia estava a ter uma conversa não sei com quem, a respeito não sei de que, mas o conteúdo foi para ao facto de eu ser Engenhereira. Tal facto que eu respondi negativamente, e a resposta surgiu num ápice:
- Ah...(de reprovação)
E eu:
- Mas daqui a dois anos serei Arquitecta!
- Pois...mas não é a mesma coisa!

POis realmente que não é a mesma coisa!
Mas também não é melhor nem pior, apenas diferente, que RAIO!!!

E, claro está, cada vez que faço um trabalho pequenito, chamam-me (vê lá tu!) Doutora Engenheira.
Ai o Carago...

Parabéns a Ti! :*

12:50 da manhã  
Anonymous betania said...

António...para mim um Engenheiro é igual a outra pessoa qualquer porque eu sou contra o facto de se colocar antes do nome das pessoas os "títulos" académicos porque acho que esses apêndices não fazem parte do nome nem acrescentam nada.

A meu ver todos são iguais, importa
apenas que sejam gente fixe e boa.

Mas se isso te faz feliz...tudo bem. Beijinhos

7:08 da tarde  
Blogger Leonoretta said...

senhor engenheiro Castilho Dias

(trabalhei num escritório de advogados quando era novita e lá tinha que chamar o título e o nome das pessoas por extenso)

desculpe só agora apresentar os meus parabéns...

(gostei de saber dos "protocois" da ordem)

abraço da leonor

8:27 da tarde  
Blogger António said...

Para "betania":
Minha querida amiga.
Sugiro que releias mais atentamente este post.
A tua interpretação não corresponde ao que eu pretendi expressar.
Jinhos

8:54 da tarde  
Blogger sininho said...

quando for grande quero saber escrever assim*

9:31 da tarde  
Blogger Paula said...

Pois é... e sabes porque te dou os meus parabens, Sr. Engenheiro? Pelo facto da raridade que representas: um Engenheiro que sabe escrever e falar bem... o que infelizmente, no nosso pa´´is, vai sendo espécie em extinção!!!... Continua assim, amiguinho. Tenho muito orgulho em ti.
Um enorme beijinho da tixa que te agradece a mensagem. :)

11:27 da tarde  
Blogger Nuno Vieira said...

outubro de 1972...que saudades, estava eu a nascer :)

1:19 da tarde  
Blogger Nuno Vieira said...

acho que está bem...não te formastes em Outubro de 1972?

:)

2:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

muito prazer sr. Eng.. Ana Mª Costa

12:58 da tarde  
Blogger António said...

Para Ana Maria Costa

Muito prazer, igualmente, minha menina (ou senhora)?

1:25 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home