Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

sábado, junho 10, 2006

Diálogos de gente (XV) (O engatatão) (parte II)

Já passava do meio-dia e meia.
Jorge Meireles levantou-se, dirigiu-se à porta do gabinete, abriu-a, e disse:
- Cátia! Por favor prepare-se porque daqui a cinco minutos vamos sair para o almoço.
- Sim, Senhor Meireles!
- Jorge!
- Pois, Jorge. Peço desculpa.
O patrão regressou ao seu compartimento privativo para daí a poucos minutos o abandonar.
- Está pronta? – perguntou à jovem.
- Estou sim, senhor Mei...Jorge.
- Então vamos lá!
Desceram a escada até à garagem onde estava estacionado um magnífico carro preto, da gama alta. Jorge accionou o dispositivo de abertura à distância, abriu a porta do lado direito e fez um sinal com o braço para a secretária entrar.
Esta sentou-se, deixando o patrão a olhar gulosamente para as pernas que ficaram razoavelmente destapadas.
Pouco depois estavam na rua a caminho do restaurante onde normalmente o empresário almoçava.
A conversa foi pouca pois o percurso era curto.
Lá chegados, apearam-se da viatura e entraram.
- Boa tarde, senhor Meireles! – disse um dos empregados enquanto o homem, seguido pela rapariga, se dirigia para a mesa habitual.
Entretanto foi cumprimentando vários comensais que lhe retribuíam a saudação. Vários dos homens não puderam deixar de seguir Cátia com o olhar, alguns deles esboçaram um sorriso, e não deixaram de ser pronunciados, em surdina, alguns comentários relativos à nova companhia do Meireles.
Mal se sentaram, um em frente do outro, apareceu um dos empregados com os cardápios.
- Cátia! Escolha o que quiser. Esteja á vontade. Gosta de marisco?
- Gosto, sim! – disse a rapariga entusiasmada.
- Posso então mandar vir arroz de marisco para os dois? Aqui é muito bem feito. Hoje vou beber cerveja. Gosto de cerveja a acompanhar marisco. Também quer? – perguntou o boss.
- Eu não costumo beber álcool mas, com este calor e com marisco, acho que é uma boa escolha – anuiu a empregada.
- Muito bem! Vou pedir.
Pouco depois, e enquanto trincavam uns aperitivos, perguntou o Jorge:
- Oh Cátia! A quantos quilómetros é que vive do escritório?
- Cerca de trinta. – respondeu ela.
- E vem de transporte público?
- Sim! É mais económico – justificou a moça.
- Sabe que eu tenho aqui perto um pequeno apartamento mobilado que comprei e que não é habitado. Que acha da ideia de vir viver para cá? Aos fins-de-semana iria para sua casa. Seria muito menos cansativo para si e até mais barato – convidou o homem.
- É muito amável da sua parte, mas eu gosto de estar todos os dias com o meu namorado – retorquiu ela.
- Que sorte ele tem! Uma rapariga bonita, sensual, elegante e dedicada não é para todos – comentou o patrão.
Mas insistiu:
- A proposta que lhe estou a fazer só tem vantagens para si. E quando é preciso trabalhar até mais tarde, então as vantagens são enormes.
Entretanto já haviam começado a comer o prato principal.
- Mais dois finos, oh Maurício! – pediu o Jorge.
- É para já, senhor Meireles!
E voltando-se de novo para a jovem:
- Bom! Depois do almoço vamos passar pelo andar. Depois de o ver talvez mude de opinião.
- Terei muito gosto em vê-lo. Mas não é fácil mudar de opinião – respondeu a Cátia.
- Veremos! Veremos! Mas eu não a posso obrigar a mudar-se, claro! – disse o homem.
E continuou:
- Sabe que estou muito satisfeito com o seu trabalho? Embora aqui esteja há poucos dias, já percebi que além de uma bela mulher é também uma profissional competente e dedicada.
- Muito obrigado, senhor Jorge!
- Jorge! Só Jorge! Não me trates nem por senhor nem por Meireles, ok?
- Sim, Jorge!
- E podes tratar-me por tu. Numa empresa quasi familiar como a minha, não se me afiguram simpáticos os formalismos – pretendeu aumentar a intimidade, o quarentão.
- Se assim o desejar...quero dizer...desejares! – anuiu a secretária.
A refeição chegou ao fim. Ainda comeram uma sobremesa, tomaram um café e fumaram um cigarro.
- Se não fosse a maldita lei do álcool eu agora bebia um whisky. Mas já fui apanhado e não quero ficar sem a carta. Agora há aí uns guardas que se acham incorruptíveis. Enfim! Não deixo de lhes dar certa razão. Há muita gente que abusa... – discursou o Meireles.
- E agora vai ser proibido fumar! – disse a moça.
- Pois! Mas este salão é grande e não vai ficar abrangido. Parece que só terão de criar uma zona de fumadores e outra de não fumadores. Vamos então ver o andar, Cátia?
- Vamos, sim, Jorge!
- Ora assim é que é! Tratamento informal e familiar.
Levantaram-se. Foram aos lavabos e pouco depois estavam de novo dentro do automóvel.

37 Comments:

Blogger wind said...

Continua o assédio:) Bastante requintado, mas tão previsível. ehehehe.
beijos

4:51 da tarde  
Blogger Papoila said...

Olá António:
Cá estou e cá estarei até ao fim... (lol)
Fico à espera de ver a reacção da Cátia.
O Meireles não é subtil... e a Cátia não parece ser débil mental.
Beijo

5:39 da tarde  
Blogger Fatyly said...

muito bem, muito bem...Sr.António, ops...António...a narrativa promete mas acho que o Jorgito é tremendamente parolo e nada inovador:)
Já agora e contrariando algumas opiniões que respeito, até aqui ainda não vi nenhum assédio sexual apenas "uma bela cantada" (como se diz na minha terra) e vamos a ver se a Cátia vai ou não apanhar o cajú!!!!
Parabéns e obrigado por este momento de leitura!
Beijos

6:03 da tarde  
Anonymous Fatyly said...

Peço deculpas mas no comentário anterior, ficou activo o meu nick com blog, onde fiz apenas uma mera participação poética:)
Já desactivei porque não tenho nenhum...xiiiii como percebo destas coisas, jasus:(

Inté

6:53 da tarde  
Blogger Leonoretta said...

agora sou eu que venho agradecer o teu comentario.
como o meu pai diria "o senhor meireles - jorge, só jorge (livra que ela é chata, rsss) - vai com muita sede ao pote".

abraço da leonoreta

8:21 da tarde  
Anonymous oteudoceolhar said...

E não fui eu beber café para ler...a pensar no fim :(. Ainda não chegou a hora H...por isso volto :), estou para ver qual a volta a dares ao Meireles. Quanto ao resto :) n te preocupes quando houver tempo respondes..´.só espero que tenhas entendido e lido o conteúdo, de resrto ele tb não era para ser guardado como recordação ;). E como hoje nem estou triste e ainda não tropeçei nos meus próprios passos vou descer e beber cafe aqui por perto...só para apanhar ar (que tb faz bem aos miolos;)). O teu primeiro comentário deixou-me a pensar...logo irei escrever um textito a partir dele...Lá estãos as minhas costelas algarvias começo a falar n me calo ;)....fui. Bom domingo beijo n´oteudoceolhar **

9:50 da tarde  
Anonymous tb said...

bela cantada...espro que a menina saiba defender-se...e isso não se faz, António! Uma pessoa aqui a pensar no que vai acontecer e bumba, acaba! (risos)
beijinhos

11:35 da tarde  
Anonymous GR said...

A Cátia está a deixar-se levar!
Ele pensa que a está a forçar!!!
Hoje em dia uma jovem secretária, com namorado, fuma bebe!!!
Quando no apartamento, ela estiver toda molenga devido à cerveja e o totó do patrão tentar aproveitar-se dela….
Aí o nosso António, vai dar a volta ao texto!
António,
Estou a gostar!
Parece aqueles patrões de Paços de Ferreira (Capital do Móvel), ou de Passos de Brandão (Corticeiros), é só dinheiro, muito pouco civismo e nenhuma cultura!
Carros topo de gama!
Bons restaurantes!
Suborna com assédio, a empregada!
Subornava a polícia!
Apartamentos vazios para alguma eventualidade!
Parabéns, estou a gostar!

Bjs,

GR

2:17 da manhã  
Blogger lazuli said...

estamos a antever mais uma corrida, mais uma viagem. Vou preparar o cinto de segurança para não bater com a parede..no teclado.

beijos*

4:05 da manhã  
Blogger MT said...

Este Jorge está imparavel e bela da Cátia é mesmo burra ( ou então está a disfarçar para entrar no jogo)..
Obrigada pelas tuas palavras

Beijinhos

12:11 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

Pois é... acho piada a "homens" assim...agora vou eu contar uma pequena história, por sinal entre pessoas minha conhecidas

"A"...tinha uma pequena empresa. Casado pais de 2 filhos.

"B".... tinha outra empresa. Casado e com 3 filhos.

A filha de A... foi para Coimbra estudar, onde B, tinha uma empresa.

Por sua vez, uma das filha de B... foi para o Minho estudar, onde A tinha a sua empresa.

Ambas se licenciaram. E convidadas que foram para estagiar em empresas locais, a filha de "A" passou a ter um patrão estilo "Jorge". Esquiva, tentou não perceber as "investidas" do patrão....

A filha de "B", continuou no Minho, numa empresa gerida com mão de ferro pelo Patrão "A", que tratava os funcionários pela competência, independentemente de serem homens ou mulheres.

Confrontado com a situação, que o patrão "B" lhe ocasionava, já que todos os outros funcionários, comentavam entre si o "interesse" de "B", por si, a filha de "A" expor a situação ao Pai, que perante tal gravidade, resolveu através de empresário seu conhecido, marcar um almoço e, para a filha não se encontrar deslocada perante homens, resolveu falar com a filha de "B", que desconhecia que o seu pai era, nem mais nem menos, que o patrão, da filha do seu patrão.
Não vou alongar os pormenores, a descrever o encontro entre "A" e "B" e respectivas filhas.

Falou-se de tudo, menos de "investidas"...e, "B" percebeu que há coincidências...e, segundo se comenta pelos corredores, "B" nunca mais se meteu com funcionárias…

Moral da história? Cada um que a entenda.

Agora falando no teu texto. Está excelente. Espero que a Cátia não se deixe levar pela "lábia" do Jorge...


Um abraço e bom domimgo ;)

1:32 da tarde  
Blogger hodiguitria said...

Aguardo novos desenvolvimentos! Gostaria que a Cátia não caísse nas "garras" do Meireles, mas... Beijinhos ;)

4:21 da tarde  
Blogger António said...

Para "fatyly":
O teu link conduziu ao blog do Finúrias...eh eh
Não houve assédio explícito, mas todo o comportamento do Jorge vai além de uma cantada! Ou não?
Volta sempre.

Beijinhos

4:51 da tarde  
Blogger António said...

Para "GR":
Guidinha querida!
Obrigado pela visita e comentário.
Será que a história vai acabar no próximo episódio?
De facto, ainda não sei!
Esta está a ser escrita ao correr da pena e sem qualquer planeamento.
Lá para sábado veremos...

Beijinhos

5:17 da tarde  
Anonymous Fatyly said...

António pela tua narrativa o comportamento do Jorge é mais que vulgar nos homens (e em muitas mulheres) que têm a mania que é tudo deles! Mas até agora o pobre homem não fez mais do que uma bela cantada onde apenas pôs o isco na ponta da cana!
Aguardarei o desenrolar:):)

7:47 da tarde  
Anonymous Ana Joana said...

Olá António!

A Cátia não me parece lorpa. Por isso, continuo à espera que faça o Meireles dançar rssss Ele está a pedi-las eheheheheh. Depois que não venha fazer queixinhas das raparigas de hoje!!!!!

Beijinhos e pouca preguiça, sff
Ana Joana

9:53 da tarde  
Anonymous Ana Avalon :-) said...

Esse buçal do Meireles é mesmo muito brilhantina e enjoativo...!!
Risosssssss
Espero que encontres um final INESPERADO! (tipo: afinal o "homem" (é?) é impotente, e tal! Afinal, teve um acidente e ficou SEM e tal.....)
tschhhhhhh!
Beijinhos, António

11:07 da manhã  
Blogger Caiê said...

Vê-se que o senhor está habituado a fazer isto, ahn?! Já tem a cassete engatilhada. Depende tudo da pequena.

6:39 da tarde  
Blogger António said...

Para "ana joana":
Olá, querida amiga!
Que achas que deve dançar o Meireles? Uma valsa? Um tango? Um foxtrot? Um malhão? Um bolero? Um twist? Um rock? Um slow?
eh eh

Beijinhos

3:01 da tarde  
Blogger António said...

Para "ana avalon":
Olá, querida Ana!
Queres mesmo um final inesperado?
E que tal, quando o homem estiver no ponto mais alto da sua curva de desejo, aparecer um doberman e comer-lhe o desejo?
ah ah ah

Beijinhos

3:04 da tarde  
Blogger heloisa said...

Isto e' que este "Meireles",que e' "JORGE"(SEM FORMALISMOS, QUE ELE GOSTA ASSIM!...)tem ca' uma "grandessissima LATA"!...falando (eu) aasim , mal e depressa!
BOM...a ver vamos se a "CATIA" 9que nao e' "Vanessa" tambem, como perguntava o PETER num "comentario2 a Iparte da SAGA DO "MEIRELES" QUE E' SO' JORGE, assim, informalmente, para os Amigos e empregados mais chegados!!!!
_ANTONIO< ANTONIO*... assim, como quem brinca com as PALAVRAS la' vai o ANTONNIO, fazendo uma bela critica social(AOS HIPOCRITAS E...candidatos a corruptores!...)!
MEU ABRACO CA' DEIXO!
_Cheguei atrasada, mas cheguei! e...VOLTAREI, se Deus o permitir-!
_FIQUE EM PAZ!
heloisa.
***********

7:44 da tarde  
Blogger BlueShell said...

Passo apenas e deixo um beijo da cor do mar temperado com uma lágrima de sabor a sal…
BShell

9:07 da tarde  
Blogger pinky said...

hot hot hot!

12:43 da manhã  
Blogger lazuli said...

António, gostei da ideia do doberman:)
Darias um final ainda mais exótico à coisa.
Mas duvido.

2:43 da manhã  
Blogger lena said...

Afinal sempre chegou a parte II, ou eu é que ando atrasada ou adiantada para te vir ler

vamos à continuação,
sabes pegar bem no tema e dar-lhe continuidade, numa escrita excelente,
gosto de conseguir "viajar" no que vou lendo e que bem me soube o arroz de marisco,

António desculpa, eu sou mesmo assim leio e entro nos personagem que vão criando, sempre que algo me agrada

não sei dizer se achei que é assédio, por enquanto ele está a quer dar uma super "cantada" para ver o que a "fruta" rende
um almoço com uma tu cá tu lá, depois a ida ao apartamento que ainda não se concretizou, um tratamento "familiar", depois logo se verá

a Cátia não se vai deixa enrolar, ou não vai em cantigas, isto sou eu a pensar alto,
ou será que tem medo de perder o emprego? Isso seria já assédio.

vou aguardar para assistir que volta lhe vais dar

beijinhos meus e um abraço

lena

11:03 da tarde  
Anonymous Ana Joana said...

A dança que o Meireles vai dançar é a do pião: A Cátia vai pôr-lhe a cabeça à roda, roda, roda, roda, roda, roda.... até que ele perca o norte. Qdo o achar....... já a Cátia se serviu e foi embora. E ele......... de mãos e não só a abanar! eheheheheh


Beijinhos António e um bom feriado!

(tanto praguejaste contra o calor que o S.Pedro veio a correr socorrer-te, e nós de ponte estragada!)rssss

Beijinhos
Ana Joana

12:02 da tarde  
Blogger mitro said...

Absolutamente verosímil...
A propósito tenho uma cas para alugar será que a Cátia não...

1:48 da tarde  
Blogger António said...

Para "ana joana":
Não sabias que eu tenho fortes influências lá em cima, no céu?
E então com o Pedro, é tu cá tu lá!

Beijinhos

6:34 da tarde  
Blogger Ana Luar said...

Li o conto desde o inicio e deixa que te dê um conselho... O meireles precisa de ser mais engenhoso... está a ser demasiado óbvio... a Cátia topa esse senhor a kilometros quase de certeza.;)

7:20 da tarde  
Blogger alfazema said...

Gostei do texto e prevejo o desfecho. No entanto aguardo...
Um beijo

7:32 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Faço minhas as palavras da Lazuli (Fernanda, desculpa-me, não resisti!!). Beijos.

12:48 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querido António

Ai, ai este sr.Meireles (Jorge) pelo que parece, deve ser uma bela de uma "prenda".

Vamos ver como é que a Catia se livra desta armadilha ( ou será que vai cair).

E como sempre, estás de PARABÉNS pela tua excelente escrita.

Beijinhos

Bom F semana

7:32 da tarde  
Anonymous Fatyly said...

E nunca mais arrancam? apre...ahhhh pois a gasolina tá cara:):):):)

7:41 da tarde  
Blogger A. said...

...muitos beijos meu A.
um abraço.dois abraços.
as minhas saudades de ti
meu querido De Castilho.

7:54 da tarde  
Blogger margusta said...

Olá António,
...lol...isto está a querer aquecer, mas cá para mim o SR.MEIRELES não se vai sair bem com a Cátia...e é o que vou saber já a seguir :)

Beijinhos e até já!

10:50 da tarde  
Blogger amita I said...

Retomei a leitura deste teu diálogo onde a deixei. Criaste o ambiente propício para o próximo que vou ler de seguida.
Um bjo e até já

11:47 da manhã  
Blogger Ana Maria said...

depois deste farto almoço justifica ainda mais o meu apreço por kátia que Maurício tenta comprar.
ora toma lá que já comes!

10:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home