Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

sexta-feira, abril 29, 2005

Bronze nas dunas

O Sr. Américo era um homem dos seus cinquenta e tal anos.
Fanático da praia, costumava ficar numa barraca perto da minha, quero dizer, da minha família.
E como isto aconteceu durante vários anos consecutivos, o conhecimento mútuo surgiu naturalmente.
Além de ser uma defensor acérrimo dos benefícios para a saúde do ar do mar, do exercício físico, dos banhos em água fria (aqui no norte também não era fácil ter água à temperatura da do mar do Algarve), procurava bronzear-se o mais possível (mas com os cuidados inerentes, embora naquele tempo ainda não se falasse no cancro da pele provocado pelo sol).
Pessoa metódica, quasi obstinada, era muitas vezes o primeiro a chegar ao areal. Coisa de que se orgulhava. E brincava connosco, os mais novos:
- Não tem vergonha? Em vez de aproveitarem este iodo e este sol, nas horas em que ele é melhor, bem cedinho, ficam na cama. Que desperdício! Ponham os olhos aqui no velhote!
E fazia todos as manhãs e todas as tardes o seu “cross” pelo extenso areal.
O facto é que era um homem saudável!
O seu gosto em andar bem bronzeado, levava-o a ir passar uma meia hora para as desertas dunas onde, estendida a toalha e removido o calção de banho, se aprazia a bronzear as partes que não podia, por decoro, exibir em público.
Mas à vezes o destino é um pouco maldoso e, numa bela manhã, estando o Sr. Américo com o trajo de Adão (mas sem parra) a bronzear as bochechas, ouve um pequeno ruído.
Ah, maldição!
Não é que um corpulento cão, veraneante não habitual por aquelas paragens, resolve abocanhar o calção de banho do nosso amigo e afastar-se calmamente do local?
O nosso protagonista, atrapalhado como é de calcular, lá começou a chamar o bicho:
- Ó cão! Anda cá! Ó pá! Dá-me cá isso! Então?
Como que a gozar, o cachorro anda um bocado, pára, olha para o nosso herói que nessa altura já se tinha levantado e posto a toalha à volta da cintura, e continua:
(felizmente estava munido de toalha, senão...)
- Ó filho da puta! Dá-me cá os calções!
É o dás! Mais uma paragem. Mais uma olhadela desafiadora. E retoma o percurso para maior irritação do Américo.
Até que, finalmente, e para alívio do banhista, o canídeo largou o trofeu.
A cena parece que demorou uma meia hora (eu acho que teria sido menos, mas o tempo psicológico para a vítima do atrevido canino foi seguramente maior que o tempo real).
Vestidos os calções, o nosso velho amigo lá regressou à base.
Lá chegado, começou a rir-se, a rir-se, a rir-se...e nunca mais parava.
Até que finalmente narrou a sua aventura de nudista roubado arrancando gargalhadas com fartura.
Já não me lembro bem se voltou a ir fazer bronze para as dunas. Acho que sim, mas certamente tomando algumas precauções suplementares.
Uma coisa é certa: a peripécia deu uma boa história (com um toque de erotismo e tudo), ou não deu?

16 Comments:

Blogger Bárbara Vale-Frias said...

:))) É engraçado como descreves estas situações com tal nitidez que consigo mesmo imaginar-me lá, do lado do acontecimento, espectadora atenta a cada movimento ou frase!

Esta história fez-me lembrar outra, de família, que talvez, um dia, venha a ser contada no meu blog. Em traços rápidos, há mais de 35 anos, minha Mãe e Tia foram tomar banho num local deserto, em Moçambique. Deixaram as roupas fora do alcance da água e quando voltaram da banhoca... alguém as tinha levado! Na altura, a notícia até saiu num jornal local ;)

4:17 da tarde  
Anonymous Caiê said...

Ah! conheço uma história assim parecida! Até me lembro de ver um banhista a correr nú pela praia... Afinal, as recordações infantis de cada qual são bem semelhantes, em tanta coisa, não é? :)

6:37 da tarde  
Blogger Loucura said...

A tua vida é repleta de episodios engraçadissimos!
Ai esse senhor americo...As vezes na praia acontecem dessas coisas...nao e nada agradavel, mas enfim..
Beijinhos, bomm fim de semana e continua a narrar dessa forma espantosa as tuas vivencias

10:39 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

António

Obrigada pelas tuas visitas!


Mais uma história muito bem contada, que podia acontecer a qualquer um :-)

A mim nunca me aconteceu, mas já "preguei" algumas partidas, bem parecidas, o que nos provoca uma sensação
hilariante :-))

Bom fim de semana

Um beijo

11:10 da tarde  
Blogger Leonoretta said...

António
és um espectador extremamente atento...

3:21 da tarde  
Anonymous Dora said...

Deu sim. E tu és um excelente contador de histórias!
Continuação de bom fim de semana :-)

11:43 da tarde  
Blogger BlueShell said...

Já estou a ver o pobre senhor de toalha à cintura...a destratar o cão...
LOLOL...uma boa história!
Estou quase fina...Jinho, BShell

12:26 da manhã  
Anonymous guevara said...

:)

;)

:*

3:04 da manhã  
Anonymous Xinha said...

lol
Erotismo não digo, mas que é engraçado é...

Xinhos

2:00 da tarde  
Anonymous cândida said...

:)

6:40 da tarde  
Blogger Malae said...

Caro António! Ando agora a visitar os blogs dos amigos que o tempo esta semana não mo permitiu! E que bem sabem ler estas estórias que por aqui contas! É impressionante como as podemos ver através das tuas descrições! E esta história fez-me lembrar as férias passadas nas praias do Porto e arredores! Que saudades! Uma boa semana, amigo! Beijinho grande. Malae********

PS: Obrigada pelas palavras no meu post sobre o 25 de Abril. Espero que a minha idade não tenha sido um "choque mau" :))) e agradeço profundamente o elogio da maturidade!

PS2: Não posso deixar de referir o post anterior sobre o 25 de Abril! Gostei mm mt! Principalmente, pk axo que é bom percebermos que nem todos andaram pelas ruas a festejar! Obrigada pelo valioso testemunho.

12:51 da manhã  
Blogger Karamelisses said...

:) ainda tinha a toalha... eu já assisti a um que nem toalha tinha e quando chegou ao areal tinha o resto da roupa escondida na areia! O desgraçado ainda andou a escavar para se... tapar!!!

Um beijinho pra todos

12:21 da tarde  
Blogger Bárbara Vale-Frias said...

Que bom que te viciaste no meu blog! É bom ter visitas que começam a fazer parte da família ;)

Começo a desconfiar que as pessoas só lêem os últimos posts... é pena pois o último post não tem de ser o mais representativo. Mas o tempo é curto demais para tanta leitura, pelo que há que fazer opções ;)

Quanto ao Jornal da Noite, ainda não apareci desta vez. Fui avisada só no Sábado à hora de almoço e nem consegui ver mas disseram-me que a nossa reportagem foi substituída por uma de uma stripper, imagina!, e outra sobre o Pishing, na qual apareceu um amigo meu. Enfim, fui preterida, essa é que é essa! ;)

Lamento a perda. Que a despedida seja serena e reflexiva. Bom regresso de Vila Praia de Âncora.

Bjs

6:01 da tarde  
Blogger António said...

Para "cândida":
Gostava de saber quem és!

7:27 da tarde  
Blogger Gado Bravo said...

Olá António, tenho andado sem tempo e com muitooo trabalho. Vim-te ler hoje para me actualizar :)
Outra história gira, a cokas tem razão, com essas imagens nítidas que crias conseguimos "estar" lá. :)
Bjinhos*

1:49 da manhã  
Anonymous Topazio said...

e também umas boas gargalhadas daqui do lado de cá!!!ah ah ah ah
É que estou mesmo a imaginar a cena!!!
jokas

3:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home