Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

sábado, abril 09, 2005

Discriminação animal

Todo o mundo conhece os chamados animais domésticos.
Nas zonas urbanas, os mais frequentes e amimados são os cães e os gatos, nas suas variadas raças. Em muita habitação, com ou sem jardim ou quintal, lá estão eles.
Mas outros merecem menção: os canários, pintassilgos, pintarroxos, os engraçados papagaios e ainda os peixinhos, quer o solitário vermelhinho quer os múltiplos habitantes dos mais sofisticados aquários com maternidade e tudo.
E os cágados, quer os "mignon" que tem um local especial dentro de casa, quer os maiores que se instalam nos jardins.
E há os mais raros: ofídios rastejantes, pequenos tigres, enfim...fiquemos por aqui que não me lembro de mais.
Se formos para as áreas rurais, teremos muitos outros animais que, para ricos ou para pobres, tem os cuidados necessários, ou mais do que isso, dos seus proprietários: as galinhas, patos, perús, gansos, cisnes, coelhos, vacas, ovelhas, cabras, porcos, cavalos e outros. Não pretendo ser exaustivo pois isto não é um estudo científico, como devem calcular.
Mas o que me levou a tratar este tema da discriminação animal não foi esta bicharada que atrás enunciei.
São os outros. Os malditos, os indesejados, os horrendos, os discriminados.
Comecemos pela formiga, a comunitária e laboriosa formiguinha que a famosa fábula transmitida oralmente de pais para filhos tem atravessado gerações. Mas outros insectos nos acompanham fielmente mal-grado a furiosa perseguição de que são vítimas: as aranhas com as suas artísticas teias, as centopeias, engraçadíssimas com tanta perninha, as baratas, os peixinhos de prata.
As pulgas, percevejos e piolhos. Como é gira a distracção que estes proporcionam ao ser catados nas cabecitas mais sujas das criancinhas e o estalido que produzem quando esmagados entre as unhas dos polegares das mamãs. E a conhecida habilidade das pulgas para serem amestradas e se tornarem artistas de circo, sem falar na famosa cena de um filme de Charlot cujo nome agora não recordo?
E os ratos e ratazanas, também imortalizados em fábulas como a do flaurista ou a do João Ratão e da Carochinha, sem esquecer a utilização que deles fizeram grandes nomes da literatura como Victor Hugo que, na mais romântica de todas as obras que conheço, Les misérables, os converte nos melhores companheiros de Jean Valjean nas suas passagens pelos oitocentistas esgotos de Paris? Ah...e o rato Mickey, claro!
E as moscas, mosquitos, falenas e outros insectos voadores? Quanta diversão e libertação de tendências agressivas não tem provocado à pequenada o caçar moscas e depois tirar-lhes as asas, depois a cabecita e por fim as patinhas?
As abelhas, vespas e correlativos. Nem é preciso falar da utilidade das abelhinhas, pois não?
E as minhocas, lesmas e caracóis (petisco em muita zona do país) que também são um belo entretimento da miudagem? Caracol, caracol, põe os corninhos ao sol...
E mais haveria; mas vou parar por aqui na enumeração que já vai longa, quiçá fastidiosa.
A minha intenção ao falar nestes animaizinhos mal amados, é pôr em relevo a hostilidade de que é alvo, por parte dos humanos, todo este conjunto de pequenos bicharocos que fazem questão em partilhar a sua vida connosco.
Pensem bem e deixem-se de discriminações!

19 Comments:

Blogger Paula said...

Oh meu querido amigo...com todo o respeito...e com a razão que te é devida.....
Eu não gosto nada de insectos, tipo baratas..aranhas...centopeias....bichinhos da prat!! YACCC.... tens toda a razão ..eles têm direito à vida...mas...tenho tanto nojo deles..arrepior-me toda se vir uma barata...
Por um lado, eles não fazemmal...mas por outro...será que seria viável vivermos numa casa partilhada com essa bicharada toda a monte???
E a nossa saude.a nossa higiene?..
Não me estou a imaginar a comer numa mesa cheia de formiguinhas ou a tirar o pacote do cafe e saltar de lá uma barata veloz...chiça...acho que fugia.....
Como diz o velho ditado..cada macaco no seu galho...entao..esses insectinhos que vivamla bem escondidinhos e longe de mim....tenho tempo de viver com eles quando morrer...hehhehe
Mas é sempre salutar ler coisas como a que escreveste.. de facto... todos têm direito à vida e ninguém devia discriminar ninguém nem nada!
Um beijinho e valeu a reflexão!
Tarequita

6:43 da tarde  
Blogger António said...

É um texto absolutamente irónico, ó Tareca!

6:56 da tarde  
Blogger Pipocas said...

Nem me falem de aranhas. Desde que tenho uma casa no meio da serra, apanhei-lhes um pó... raio das bichas são do tamanho de caranguejos! Bem lhes podem dar "traulitadas" com a vassoura que elas, aos zigue-zagues ainda andam. Quando caiem para o chão até fazem "baque" de pesadas, grandes, grossas e gordas que são! Horríveis!

8:14 da tarde  
Anonymous Andréa said...

huahuahuahua... poxa esse texto.. ai ai... claro q temos q lembrar desses animais discriminados... mas pense assim... se não conseguimos acabar com a discriminação entre seres humanos... como podemos acabar com essa discriminação???
Bem... é isso!!
Bjusssssssssssss

8:56 da tarde  
Blogger Karamelisses said...

Essa é que é essa primeiro entre nós, seres humanos, e depois os bicharocos!!! Porque afinal de contas... São elas que invadem o nosso espaço ou fomos nós que invadimos o habitat delas? O_0

Beijinho p'ra todos!!!

9:51 da tarde  
Anonymous Andréa said...

Óh meu bem... eu sei q esse tem um tom ironico... mas vale reforçar seus pensamentos... deixe pra lah... naum pude me expressar da maneira q eu queria... naum sou muito boa com as palavras!!!
Bjussssssssssss

10:02 da tarde  
Blogger BlueShell said...

Ia tudo bem...até falares das pulgas...

Olha eu...tenho animais de estimação; mas como tenho raízes na terra, no campo também sei "lidar" com os outros: as pitas, as chibas, os borregos,oa patos mudos...depois claro há o escaravelho (terrível)...mas há também a joaninha....e ainda a centopeia, o sapo,....e demia bicharada. Só não gosto de : varejeiras, centopeias, "alacraus", aranhas, lagartos e cobras...de resto...venham eles...tudo "nice"!
Jinho, BShell

10:29 da tarde  
Anonymous Crista said...

Querido António,

Quero-te convidar, para 1 vez por mês, vires cá a casa, para levares as pulgas do meu gato, para a tua!!!

Muitos beijos e abraços.

(só tu, meu louco, é que me fazes rir).

12:07 da manhã  
Blogger António said...

Ok!
De acordo, mas também trago os teus piolhos...eh eh eh

12:14 da manhã  
Anonymous Menina_marota said...

És mesmo LOUCO!!! eheheh

Quem era capaz de escrever uma página acerca disto? Só tu, realmente!!

Gostei de ler.

Abraço e bom domingo. ;-)

1:53 da tarde  
Blogger BlueShell said...

POIS...
Deve haver...aí no Porto um sítio qualquer para registo de textos com o teu nome. Se tiveres dúvidas vai à loja do Cidadão. bas ta registares, em teu nome, alguns textos - dás um título...e pronto Estão salvaguardados os teus textos.
Há coisa de uns meses vi (com estes 2 que a terra há-de comer" um texto meu num outro blog...e sem dizer o autor. Isto é, a pessoa fazia-se passar peo autor desse texto! Foi a "gota de água"...
António...bons ou menos bons....são os NOSSOS textos!!! Por isso...

Jinho, BShell

3:53 da tarde  
Blogger SaltaPocinhas said...

Olá! Vim retribuir a visita e também "achei" um blog bem interessante (e ainda não li tudo, mas vou ler!). A julgar pelo nome, sentido de humor não deve faltar por aqui...
Quanto aos bichos, esqueceste os ácaros: temos a casa cheia deles, blhaaaac! E nem os matas porque não os vês! Pelo sim pelo não, sempre que posso ponho tudo a arejar e a apanhar sol (dizem que eles odeiam tanto que morrem, ihihihih!). De resto tenho respeito por toda a bicharada e tento não os matar mesmo quando invadem o meu espaço. Tento levá-los a sair a bem. Se não saem é que tenho de tomar medidas drásticas. Só há 2 a quem não perdoo: melgas no quarto e carraças. ODEIO CARRAÇAS!

7:39 da tarde  
Blogger SaltaPocinhas said...

Depois de ter dado um pequena volta pelo teu blog, venho aqui fazer um acrescento... Ácaros! Então não é que tu os comes?? Da próxima vez vou guardar os meus para te dar...Comer ácaros? CA NOJO!!

8:06 da tarde  
Anonymous Dora said...

Ri-me com vontade com este post! Autêntico efeito Prozac, o teu blog! Uma boa semana para ti :-)

8:54 da tarde  
Blogger dinorah said...

Olha, amigo, adorei o post!
Mas, certamente, e por experiência própria, ambos sabemos que as baratas do Porto não são iguais às baratas açorianas... essas sim, estaladiças, brilhantes, de cheiro fétido, de antenas e poder de voar, com as suas longas asas... ARGHHHH!!!
Até me arrepio!

O que vale é que cá não as há!
Ai, vida boa!
hihihihihi

E os ácaros? saborosos?
ham!
bj

9:33 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Las hormigas se comerán a Roma, esta dicho." Escreveu Cortázar.
É preciso que não se ame tudo, para que os seres amados tenham sua significação.E isso não é discriminação. Há quem crie aranhas e ame lagartos...

11:25 da tarde  
Anonymous nora borges said...

o comentário acima foi meu... mas nao soube assinar aqui

11:26 da tarde  
Anonymous Caiê said...

Eu aceito-os a todos... Menos às baratas, que são uma epidemia, aos ácaros porque dão alergia e às pulgas porque não calham bem às gatas pretas... ;)

1:24 da manhã  
Blogger Gado Bravo said...

Caro amigo, muito me ri!
De vez em quando convém mesmo puxar a coisa para este lado tamanhos os exageros que há.
Agora já não tenho gato por isso já não há pulguedo nem bicheza cá em casa, mas digo-lhe sinceramente, se vejo uma aranha salto para bem longe e esguicho até sabão da louça se for preciso!
Um beijinho! ;)

11:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home