Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

domingo, novembro 20, 2005

Sexta-feira, 18

Sexta-feira, 18 de Novembro de 2005.
Foi um dia intenso para mim. Por isso vou escrever sobre ele.

Fugindo ao paradigma habitual dos meus textos, este será como que uma folha de um diário.
A manhã estava bonita.
Cheguei ao trabalho ainda não eram oito horas, sendo a entrada às nove.
Este hábito de adormecer a ver o telejornal e acordar bem mais cedo do que o programado no despertador começa a aborrecer-me em relação à perda de informação. Mas não é nada que me incomode muito. Vou buscá-la a outras fontes.

Tinha uma consulta marcada no Centro de Saúde com o chamado médico de família (que por acaso é uma médica – será que atraio assim tanto as mulheres?).
Pura rotina!
Fez-me um exame convencional, conversamos sobre os meus problemas de saúde que, felizmente, não são muitos nem graves e requisitou um conjunto de análises e outros exames que complementarão mais um dos meus “check-up” anuais. Já os faço à mais de dez anos.
Eu sei que não sou imortal e também não pretendo ser o morto mais saudável do cemitério, mas gostaria de, enquanto por cá andar (e ainda poderão ser muitos anos) ter alguma qualidade de vida.

Depois, fui chamado a um dos chefes dos Recursos Humanos da empresa. Já estava à espera.
Propôs-me a passagem à situação de pré-reforma. Já o fizera há duas ou três semanas com dois colegas de trabalho ligeiramente mais velhos do que eu.
Se aceitar, no meu sector só ficará um colaborador com mais de cinquenta anos.
O governo quer (e eu percebo perfeitamente que não é suportável para o erário público reformar pessoas tão cedo) retardar as reformas. Mas duma maneira geral, os trabalhadores não querem trabalhar até aos 65 anos de idade e as empresas pretendem mandar embora os mais antigos.
Esta será, talvez, a grande oportunidade que tenho de evitar trabalhar até àquela idade. Mas serei penalizado no valor da reforma que me será atribuída.
Portanto, nos próximos dez ou quinze dias terei de me informar, calcular, meditar, conversar, negociar para, finalmente, decidir.
É um daqueles momentos cruciais na vida de um indivíduo. Sair da vida activa.
Decisões tomámo-las a cada momento. Mas há algumas que são especialmente marcantes e requerem uma reflexão especial. Esta é uma delas.

Estava a começar a escrever uma nova história de ficção. Vai ficar parada pois as prioridades alteraram-se.

“Wish me luck!”.

Para esse dia estava marcado um jantar com os dezoito ou vinte membros de uma sociedade de colegas de trabalho que aposta semanalmente no Euromilhões (confesso que me limito a pagar e nem sei qual a cor ou o aspecto dos boletins).
Como tem havido alguns proveitos, decidiu-se gastá-los numa mariscada.
Lá nos encontramos no Líder, sito perto das Antas, às vinte e trinta.
Eu não levei o meu carro. Fui no de um colega que não bebe álcool e fiquei, deste modo, mais livre para beber do magnífico verde branco que acompanhou o marisco.
Mas a viatura em que fui à boleia tem uma coisa que eu nunca tinha visto a funcionar: o sistema GPS. E lá fomos comandados por uma voz espanhola, de mulher (eu bem digo!) que nos ía dizendo:
“Agora à esquerda”
“Vire à direita a duzentos metros”
“Meta na segunda à direita!
E tudo com um completo mapa digital que mostrava as ruas todas, a posição do veículo e ainda o trajecto pré seleccionado pelo computado do automóvel.
E quando colocado noutro estado, no monitor íam aparecendo os nomes das ruas onde o carro estava. Mas que coisa porreira!
O jantar correu optimamente!
No final, que aconteceu já passava da meia-noite, surgiu a pergunta habitual:
- E para onde vamos, agora?
Uns foram para casa, outros não sei e, um grupo do qual eu fazia parte resolveu ir a um bar, com karaoke, que fica mesmo por cima do velho café ”A brasileira”.
Confesso que há muitos anos que não frequento este tipo de locais de diversão nocturna.
As minhas primeiras experiências foram pouco gratificantes pelo que deixaram de me interessar. Mas os membros do grupo eram quasi todos jovens (menos de quarenta anos, vários com menos de trinta), excepto eu e um dos tipos que vai para a pré-reforma.
E digo-vos que foi bem divertido.
O ambiente era agradável, o som não era estridente e portanto não incomodava, podendo mesmo conversar-se. Um dos colegas, desde sempre ligado ao canto e aos conjuntos, ainda cantou duas canções na maquineta, e eu fartei-me de abanar o capacete.
O certo é que só cheguei a casa por volta das três e meia da madrugada.
Mas houve um aspecto que me chamou particularmente a atenção: os colegas, homens ou mulheres, eram quasi todos casados e estavam ali numa boa com os cônjuges sossegadinhos em casa.
Não pude deixar de pensar que este tipo de comportamento, perfeitamente sadio, há uns vinte ou trinta anos atrás era impensável. Que se diria de uma senhora casada e mãe de filhos que ía fazer uma noitada com amigos e amigas sem o marido?
Para mim foi uma prova de que muitas coisas mudaram e que a igualdade de direitos entre homens e mulheres já não é só um slogan.
E também pensei que talvez seja este o caminho para os casamentos serem menos asfixiantes e, provavelmente, mais duradoiros.
Foi uma lição!
E já tenho mais informação para fazer uma das minhas “fabulosas” novelas com protagonistas mais novos.

47 Comments:

Blogger Leonoretta said...

ola Antonio.
aquilo que eu acho mais saudável numa pessoa que gosta de escrever, porque há só aquelas que gostam de ler mas que não escrevem, assim como há aquelas que gostam de escrever e não lêem, o que é um erro gravíssimo na medida em que se precisa sempre de fontes...

e aí estou eu pelos meus devaneios...

aquilo que eu acho saudável é saltarmos daqui para ali... ou seja, não estarmos presos a um estilo temático.

e só assim mostramos se sabemos escrever ou não.

de tudo o que me chamou mais a atenção nesta folha de diário foi o facto de dizeres que alguma coisa mudou na nossa sociedade em relação às mulheres que saem à noite e deixam os maridos em casa. não é bem assim.

muitas não podem fazer isso.

abraço da leonoreta

3:41 da tarde  
Anonymous Maria Papoila said...

Pois hoje adorei a página do teu diário António! E venho dizer-te que pensa bem nessa coisa da reforma antecipada! Olha que deixar de repente de trabalhar não dá saúde... Quanto à vida, mudou olá se mudou, e ainda bem mas ainda há quem seja muito "matarruano"... O GPRS é demais é...o chato é só serem mulheres a dar as indicações...são mandonas essas senhoras! Nada de piadas em relção à Medicina Familiar...e que tudo estej nos conformes! Beijo

3:51 da tarde  
Blogger BlueShell said...

E que lição!

Beijos mil
BShell
( vai-se andando...)

4:05 da tarde  
Blogger A.na said...

I wich you
the best...
Ès mesmo tu,tempo real,
presente,que me dás assim...
E eu tão atenta a seguir-te
dia e noite de sexta 18.
Diz-me mesmo,fico á espera
meu Tenente!
Fico por aqui a desejar
que te encontres no meio
da resposta mais feliz...
Entendo tão bem esta grande
e tua preocupação,tambem
minha,e explico razões...
Tenho uma profissão de desgaste rápido,sem ter direito ao estatuto,por isso não nos é
cedida a reforma antecipada.Luta travada por nós profissionais da dança faz tantos anos.Apenas conseguimos que dos
65 diminuisse para os 55anos,o que para um bailarino é no minimo IMPOSSIVEL!!!
Como sabes tenho 33,daqui a
a 3 anos penso parar,o
desgaste é imenso e terminar a carreira de uma forma digna e ainda bonita será sempre uma prioridade!
Bem,problemas de vidas,nossas,
de todos nós,que tanto me tocam...
E por ti meu António,fico na espectativa de solução feliz e tranquila!

Escreves desta maneira
tão boa de ler,fruta fresca...oposto da minha,
pouco clara,confusa,
ás vezes amarga...
tantas vezes nem sentido tem
para mim,quando mais tarde
volto a ler!
Imagina tu,o turbilhão de palavras...tão embaraçados,teias das minhas aranhas...se o
amor fosse um bicho,seria!

Hoje em dia meu Tenente
tem de existir esse espaço
dentro dos casais...espaço saudavel se for respeitado da maneira mais bonita da palavra...confiança mútua.
Sem ela não existe uma
base forte...não existe amizade,
não existe união.
Falo,porque sou o exemlo vivo daquilo que é a fraca
estrutura de uma casa...pena!

A ti meu doce A.migo meu,
digo que não páro nunca...
mesmo amarrada e atada
por dentro,o corpo fisico circula,transita e faz pela vida dentro das grandes responsabilidades que
todos temos...saber viver!
Só por lá...vou deixando
o que tantas vezes
temos de calar!
Mesmo para as pessoas que mais
gostamos,tantas vezes,temos
de ser voz clara e bonita,
temos de ser aquilo que é mais facil ouvir...mais penas!

Meu grande beijo
com todas as
minhas forças e presença!

5:06 da tarde  
Blogger Malae said...

O que têm de bom estas visitas menos frequentes =(, caro amigo, é que te leio a dobrar :D!


A verdade... é que seja qual for o tema que abordas consegues cativar atenção de quem te lê... como se nota ao longo dos 101 posts com que nos presenteastes!

Estamos realmente em fases opostas da nossa carreira profissional... mas isso só faz com que me congratule por conhecer alguém com a tua juventude de espirito! E tenho a certeza de qualquer que seja a decisão que tomes a mesma se manterá... porque mesmo reformado não te consigo imaginar parado!

Realmente muita coisa mudou! Felizmente! Mas mais se espera que mude... para que estes casos passem a ser regra! E não previlégio de alguns. Porque ainda existem muitas mulheres casadas com homens para quem tal acontecimento é inadmissivel.Da mesma maneira que muitas mulheres fariam uma cena de ciumes por um jantar com um grupo de amigos!

Cá esperamos então pela tua nova blogonovela. Demore o tempo que demorar valerá a pena :D E fazes muito bem em fazer esses check ups que te queremos cá por muitos e muitos e muitos anos de boa saúde!

Beijocas amigas do tamanho do mundo.
Malae**********

6:34 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querido António

Em primeiro lugar, desejo que tudo corra bem na tua "negociação" imagino que dar um passo destes dê muito que pensar.

Pela forma que escreveste (e muito bem) tiveste uma noite de convívio agradável, que até deu para reflectires sobre os casais em que a mulher sai à noite e o marido fica em casa. Não é de facto por aí que o mal vem ao mundo mas também há "saídas e saídas". Acontece que algumas mulheres não o podem (deixam) fazer, imagino que haja homens a (sofrer) disso também!

Agora, quanto a casamentos mais duradoiros! Aí já não estou de acordo
Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, números, referentes ao primeiro trimestre de 2004, revelam que em cada dois casamentos realizados em 2003, no nosso país, um acabou em divórcio. A taxa é sempre a subir todos os anos.

Mas o que interessa agora, é que te divertiste. Tens aqui um belo Soirée contado bem à tua maneira - comme il doit être!

Beijinhos

6:48 da tarde  
Anonymous GR said...

António,

Há uma certa nostalgia quando falas em te reformares!
A única inconveniência poderá ser a questão económica!
Hoje tem que se fazer muitos cálculos, para comparar se na realidade o dinheiro que se trará agora, ou daqui a uns anos, compensa!
De resto é fácil fazer-se os cálculos! Se trabalhas-te mais de três anos poderás ter uma reforma de 2 ou 3 mil contos! Se foi uma vida de trabalho de mais de 40 anos, então receberás uma quantia economicamente reduzida.

Porém não vejo a nostalgia em relação ao dinheiro!
(O dinheiro é uma apreensão lógica).
Saberás tu o que podes fazer reformado?
Uma vida nova!
Não, não é estar sempre sentado no computador!
Andar, fazer natação (mesmo que não se saiba nadar),conviver, “bloggar”, falar, ler, coleccionar.
Saber estar em casa (é muito importante), depois há Associações de Solidariedade (que sempre se pode ir uma vez por semana ou quinzenalmente), Animal, APAV, Cais, Paz,IPO (nem todos conseguem), os encontros culturais da Arrábida, do Porto Antigo, etc. etc.

Terás tempo para fazeres tanta coisa?
És, novo demais para te achares reformado!
Consideras-te activo para trabalhares. Mas ninguém diz o contrário, só os nossos governantes! Hoje pessoas com 40 anos estão reformadas! Ex: bancários!
Por isso, chegou o momento para seres Senhor do teu tempo do teu querer!

Se o dinheiro não for impedimento, aprende a viver uma nova etapa da vida!
Vais ver que não te arrependes!
Para além dos livros que terás que escrever!

Desculpa ter-me alongado tanto!

Uma boa semana e um beijo,

GR

7:25 da tarde  
Blogger Su said...

olá

como sempre , gosto de ler-te
o teu dia foi deveras preenchido
q bom saber q estas bem de saude apesar de não seres imortal:)))
qto à pré-reforma, pensa, refecte, pesa os prós e os contras, negoceia, vale tudo e resmas de "luck" ..isso não significa parar, mas sim mudar alguns habitos, não é?....eu acho boa ideia, lembra-te negoceia:))))
qto á tua noite, fiquei sabendo q o euromilhoes não deu, mas deu para uma "rica janta" e um bom som opssss adorei o carro do teu colega:)))))) o meu só funciona com minha voz:))))
gostei de saber q foi uma noite agradavel e q até te deste conta q muito mudou...e mudou e isso é bom
ter sido uma lição...exageras, tu és um "vero sabichão" com tanta história contada ( que já li e tudo)ehehehe
qto aos protagonistas mais novos, não os ponhas muito novos, caso contrario teremos defazer um curso de reciclagem em todos os sentido, começando pela linguagem eehehehe

jocas maradas deste lado do mar
espero sinceramente q escolhas o melhor para ti (claro q vais escolher, afinal...tu és o melhor contador de historias q conheço:)))
+ jocas maradas de marar

8:08 da tarde  
Blogger wind said...

Bem aqui focas 2 aspectos:a pré reforma e os casais novos.
Quanto ao 1º caso é o que está a acontecer a muita gente. Se é bom ou não, não sei. Tu terás de pensar e decidir o que é melhor para ti.
Quanto ao 2º caso é normal e ainda bem que isso já acontece. Num casal tem de haver liberdade e espaço próprio, sem cenas de ciúmes e outras coisas.
Agora deixo-te a pensar o que é melhor para ti:) beijos e boa semana*

8:21 da tarde  
Blogger Zica Cabral said...

vou começar pela ultima parte e dizer-te, que eu sempre saí sem o meu (ex) marido pelo simples facto de que, primeiro ele não gostava muito, segundo alguem tinha que ficar com os miudos ,terceirro, tb fazia parte da minha profissão porque muitas vezes cantava em bares para ganhar $$$$ que muita falta fazia. E depois, ele tb saía com os amigos e irmãos e era a minha vez de ficar em casa. Nunca houve problemas nesse aspecto porque sempre houve respeito e confiança um no outro. Ah claro, de vez em quando saíamos os dois juntos tb.
Agora a situação de pre reforma que já me tinhas referido. Acho que a parte monetária, para ti, é a unica coisa que te pode dar que opensar porque creio que podes ter uma vida preenchida com o que gostas de fazer como hobbies. Eu, quando deixei de trabalhar (profissionalmente) pensei que ía ter tempo para tudo e mais alguma coisa. E até tenho mas acho que trabalho o dobro´. Como sempre fiz o que gostava tenho muitas saudades das minhas crianças e de certas actividades mas à parte disso sinto-me lindamente como estou.
ESpero que tudo se resolva a teu gosto
beijinhos e abraços muito amigos
Zica...
ah quero acrescentar que o teu charme é o que te faz viver rodeado de mulheres (ah ah ah )

9:42 da tarde  
Blogger António said...

Para "GR":

Mais uma vez obrigado pela tua presença.
Desta vez estás particularmente mordaz...eh eh

Pois eu te digo:
Se deixar a vida activa, não será certamente para a trocar pela vida passiva.
Possívelmente, e como passarei a fazer as coisas de que gosto, e quando gosto entrego-me intensamente, a minha vida será ainda mais vivida.
(pelo menos enquanto tiver força e cabeça para isso)

Agradeço as tuas sugestões. Algumas delas já estavam na minha agenda. Nomeadamente as que implicam actividade física.
Foste muito querida em te dares ao trabalho de fazer um rol tão completo.
Obrigado...e beijinhos

12:03 da manhã  
Blogger Luís Monteiro da Cunha said...

Ponderação=Compensação.
Boa sorte
e
Boa semana.

2:06 da manhã  
Blogger pachita said...

Que bom que te divertiste, António!
Sabe sempre bem desempoeirar a cabeça e estar com amigos.

Ainda não li os teus dois anteriores posts, mas vou fazer os possíveis para os ler assim que possa.

Desculpa, mais uma vez.

Beijinhos e boa semana de trabalho

2:49 da manhã  
Blogger A_Amante said...

Ola bom dia, gostei da descriçao da tua noitada, e acredita que eu tambem sou a favor dessas saidas sem respectivos, (eu tambem o faço hihihi).É muito salutar e não há necessidade de nos massacrar sempre com as mesmas pessoas.
Era uma ideia gira fazeres outra blogonovela com este tema...
Jinhos

9:52 da manhã  
Blogger sonamaia said...

"Mens sana in corpore sano" e para isso nada melhor que aliar o exercício físico a umas escapadelas com os amigos!! Umas jantaradas e uns copos nunca fizeram mal a ninguém e ajudam a manter a saúde mental... Infelizmente nem todos podem fazê-las por motivos pessoais ou outros que incluem os respectivos conjuges...As mentalidades evoluiram , mas ainda há aqueles que permanecem na Idade da Pedra e não compreendem que entre 1 homem e 1 mulher não tem que haver necessariamente sexo!!

Quanto à pré-reforma já tive oportunidade de te dar a minha opinião. É 1 decisão díficil mas que tem as suas vantagens... Ainda que fiques penalizado a nível momnetário não há dinheiro que pague a liberdade de que vais usufruir e a possibilidade de fazeres apenas aquilo que gostas. Pensa bem!!

Quem me deraestar na tua situação!! Nem olhava para o lado!!

Beijinhos e fico à espera da nova blogonovela

10:48 da manhã  
Blogger musalia said...

olá António :) (venho, via Caiê). gostei muito do teu texto, por tudo o que recolhi.dos teus gostos do que pensas sobre formas de estar na vida.
ter tempo, é o que dizemos sempre e desejamos tê-lo livre de horários. se conseguissemos fazer apenas o que mais desejamos (e é tanta coisa)não sentiríamos falta da rotina? pergunto-me isso tantas vezes...
escrever é aliciante e nós sabemo-lo bem, mas isola, torna solitário quem se entrega à palavra escrita.

que resolvas pelo melhor...
beijinhos.

12:18 da tarde  
Blogger INFORMANIACA said...

Quer dizer...vieste à minha rua enem avisaste........."osdespoisaxentefala"

12:27 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Olá Antonio,
Decidir é das tarefas mais dificeis que temos que enfrentar na vida. Desejo-te boas avaliações para que tomes a melhor decisão.

Quanto às mudanças sociais rssss, concordo contigo, estão a acontecer a um ritmo bem acelerado, ao ritmo a que a vida exige que corramos.

Beijinho e bom discernimento.
Ana Joana

1:13 da tarde  
Blogger Caiê said...

O que é que a amiguinha te tem dito sempre sobre as igualdades? eh eh eh! Beijinhos e cá espero nova história... minhauuuu

6:12 da tarde  
Blogger pinky said...

pois, parece que estás numa fase decisiva!
mas cheira-me que isso para ti não é drama nenhum, parece-me que deves ter mil e uma coisas que queres fazer e vais fazer, a questão dos € é q é melhor analizar bem, pk isto como anda é preciso atenção.
vais tomar a decisão certa com certeza, mas aqui ficam os meus "best wishes" e good luck!

9:06 da tarde  
Blogger Micas said...

Desejo-te toda a sorte na tua negociação, e depois, se optares pela pré-reforma, começa a pensar em editar. Tens um estilo de escrita cativante.
Qt ao resto, não sei como era há 30 anos atrás, pois pouco mais tenho que isso, mas tanto eu como o meu marido saímos de vez enquanto com os nossos amigos. Acho que é saúdavel e um casamento é isso mesmo, confiança. Gosto muito de te ler. Beijinho

9:43 da tarde  
Blogger António said...

Para "sonamaia":

Obrigado pela visita.
Quanto mais vou conhecendo o que será o futuro (a muito curto prazo) da Segurança Social, tanto mais fácil se torna a minha decisão.

Beijinhos

10:40 da tarde  
Blogger António said...

Para "musalia":

Obrigado pela visita.
Tentei ir ao teu blog mas o link não funcionou.
Tens algum (blog, bem entendido)?
Escreveste:
" se conseguissemos fazer apenas o que mais desejamos (e é tanta coisa)não sentiríamos falta da rotina? pergunto-me isso tantas vezes..."
Bom...pode ser que uma das coisas que desejemos seja a rotina; nesse caso criamos novas rotinas. Certo?
Volta sempre!

Beijinhos

10:46 da tarde  
Blogger António said...

Para "Ana Joana":

Obrigado por mais uma visita.
A decisão não vai ser tão difícil como poderia parecer.
Mas ainda não está tomada!
Só...delineada...eh eh

Beijinhos

11:11 da tarde  
Blogger A.na said...

Renasceste A.migo meu?
Conta-me sempre tudo...como foi?

O post é bonito...
mas foi alterado por mim...
Faz tempo esteve no cinema um filme chamado
"De tanto bater o
meu coração parou"
Lindissimo filme!
Tb postei essa imagem,
a verdadeira,no mes passado.
Desta vez...a pessoa é
outra,eu,e o coração parado,
volta a bater,descompassado mas bate...tem de viver!

Quando falo da ua escrita,linda,clara,facil de ler por ser tão nitida,
quero apenas dar-lhe todo
o seu credito...fascina-me
ler-te,e claro que tens tantos admiradores por cá...eu,A.de
tua mais fã do mundo.

Tenho a minha vida
profissional traçada em ideias,
e se tudo der certo,daqui a uns anos continuarei com o sonho
de me entregar ao figurinismo
e tb cenografia,fascina-me todo esse mundo que no fundo tb está ligado aos palcos.

Meu Tenente...
deixo por cá o meu
coração insolente...insistente,
não quer parár!

Meu doce beijo.

11:38 da tarde  
Anonymous mocho said...

“I Wish you luck!” - Seja o que for que escolheres, escolhe com convicção para poderes prosseguir a tua vida com bastante entrega e empenho.

11:40 da tarde  
Blogger margusta said...

Olá querido amigo,
...perdoa a minha ausência , mas hoje a saudade foi mais forte e aqui estou eu.

Decisão complicda a que tens de tomar...mas se a penalização não for muito grande... aproveita...
Pensa em vez de teres de trabalhar mais uma boa quantidade de anos, e depois vires já cansado gozar uma reforma mais choruda, tens a opção de embora com um corte na dita, fazer ainda muitas coisas na vida....
Tu que encantas com a tua escrita, terias agora mais tempo para fazer voos mais altos...aquele Livro, que todos esperamos por exemplo, ou tantas outras coisas novas que poderás vir a fazer, quebrando a rotina diária dos teus dias de trabalhador ò Sr.Engenheiro.lolol..

António dinheiro não é tudo...entrega-te a novos prazeres da vida...nunca serás o reformado dos bancos de jardim..lololol...isso tenho a certeza...

Já estou a falar demais...sorry..

Tambem gostei muito de te ler sobre a jantarada com os teus amigos.

Foram poucas as vezes que saí para jantares , sem o meu marido, a maior parte das vezes eram aqueles jantares de Natal da empresa, mas digo-te é bom...é salutar..

Beijinhos meu amigo...muitos...

11:50 da tarde  
Blogger Caiê said...

O Bar do Peter é na cidade da Horta, ilha do Faial, a minha cidade.

Ai, que essa nã ta perdoo!!

12:21 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Está óptimo o texto. Gostei. Beijos, continua

12:45 da manhã  
Blogger A_Amante said...

É so para deixar um obrigado pelo apoio, jinhos

10:03 da manhã  
Blogger guga said...

Assim sempre sobra mais tempo para a escrita, não?

Boa sorte!

Sandra

11:04 da manhã  
Blogger A.na said...

Pois,burra mesmo,meu Tenente!
E acho que ainda não renasci...
mas alguma coisa se passa.
Não sei,tento agarrar com
luta o que me foge,mas já
sem muita força,deixo ir,assim,
talvez seja o limite das
tantas vezes que me chamam
para vir e ir,ir e vir...
E nestas viagens,chego cansada, farta de mim,desta que sou,
cega por opção,surda em
confusões de palavras ditas
e desditas...acho que começa
aqui o principio de algum fim.Renasço?Não...ainda não,
mas para lá viajo!

Meu querido A.
terás sempre todas as minhas
noticias,as dos prós e as
dos contras...todas,sempre!
Espero por saber de ti,por ti...
E espero pelo tal tempo que
me pediste para dizer o
que nem entendi!

Um beijinho tão
grande meu Tenente.
(Sapatilhas...sapatilhas de ponta)
:)

11:44 da tarde  
Blogger margusta said...

Querido António,
....foi com grande prazer que por aqui estive ontem..sabes que gosto da tua casa... sabes acolher bem quem te visita, pena que nos últimos tempos ande muito ocupada.

Acho que fazes bem....e tens razão, tu tens muitas, mas muitas coisas para fazer ainda...lembra-te tens no mínimo ainda quarenta anos para fazer isso tudo..lolololol...

Jinhos Sr.Engenheiro..tenho muita admiração por ti amigo.

12:03 da manhã  
Blogger Ana Maria said...

António podes escrever um diário se quiseres porque terás sempre leitores interessados na tua vivência e experiências que maravilhosamente sabes contar.
um abraço, amigo.

9:14 da manhã  
Blogger Xuinha Foguetão said...

Toni,

espero que por esta altura já estejas mais esclarecido em relação à pré-reforma.
É mesmo um grande passo e convem estar bem informado antes de o dares ou não.

O GPS é realmente formidável! ;)

Quanto à noite, deve ter sido mesmo divertida!
Só te faltou pegares no micro e deixares a malta pasmada!
Ehehehehehehe!
Viva os casamentos modernos.
Estamos sempre a aprender! :)

Beijocas grandes.

10:21 da manhã  
Anonymous betania said...

António...é uma pena que os patrões
tentem "empurrar" os seus colaboradores para situações que por vezes nem desejam e até causam
prejuizo. Por outro lado vem o governo e leva-nos o resto com as
tais penalizações e sempre nos acha
jovens para nos reformarmos.

Acho que está tudo errado. O trabalhador tem direito a trabalhar até se sentir capaz e o desejar. Nada deve ser imposto porque deixa sempre a pessoa na
dúvida sobre o caminho a seguir.

Amigo, tenho estado bastante mal
de saúde c/anorexia grave e estado
de desnutrição. Não tenho vindo
à net.

Beijinhos,
betania

10:11 da tarde  
Blogger nelsonmateus said...

rapaz! o suspence tá a dar cabo d mim ... então?
já tas d vacances ou ainda vais ser escravo durantes uns tempos?

10:54 da tarde  
Blogger lazuli said...

Bom dia, António. Interessante, essa questão da reforma. Actualmente já não existe aquele preconceito do "reformado", palavra ligada a velhinhos sentados num banco de jardim cheios de nostalgia, assim como a palavra "doméstica", significando aquela coitadinha que não sabe fazer mais nada senão a sopa de feijão e passar a ferro..
É claro que isto não é o mais importante, nem será importante, mas contribuiu para certas angústias de pessoas que ficaram "sem trabalhar" e se sentiram isoladas do seu mundo diário, como se de repente lhe tivessem colado na testa um cartaz a dizer: fim.
Mas isso já passou, o trabalho (feliz ou infelizmente) não coincide sempre com emprego, a vida activa não deixa de existir sem o tal emprego. Sabes isso melhor do que eu..suponho..
Tu, que tão bem escreves...
E só isso, a escrita, dava-te um óptimo emprego diário, fora o resto..Um resto muito grande.
Tirando o aspecto económico, o que interessa é o estilo de vida que se tem, que se terá..Os interesses novos, os interesses já existentes mas dificeis de concretizar, os amigos, novos trabalhos a fazer..etc etc.
E já me perdi com esta lenga lenga toda:)

E quanto às saídas a solo, são atitudes saudáveis, e que se fossem aceites pelo outro, tornavam a vida muito mais interessante (imaginarás quanto essas saídas não são aceites pela a esmagadora maioria das pessoas, embora não o admitam às claras...).
Beijos da tua prima e fervorosa admiradora
Fernanda g.

1:38 da manhã  
Blogger guevara said...

alem de passar para deixar um beijinho, passei para me actualizar. como vez, sao as horas q sao e estou acordada para visitar pelo menos os favoritos.
de facto, ja tinha algumas saudades de cá passar. e lembro-me agora q a minha mãe há quase um ano passou a mesma situação. Reforma, e jantares sem marido!
ehehehe
;)

beijo grande!

4:40 da manhã  
Blogger lena said...

gostei de passar por aqui e ler-te

decisão difícil e como compreendo isso, não por mim mas por vários casos com que lido directamente, pondera há muita coisa que ainda se pode fazer e com mais gosto depois de termos cumprido uma etapa

a sociedade mudou , sim mudou, para melhor em muitos aspectos e ainda bem que assim foi

êxito na tua escolha, seja ela qual for será sempre a melhor, porque é a tua escolha

um abraço meu e muita força

lena

8:42 da manhã  
Anonymous hodiguitria said...

Uns dias longe daqui e é só novidades! O que quer uqe decida que seja o melhor para si, isso é que é importante. Bjs

4:04 da tarde  
Blogger Leonoretta said...

ola antonio.

ja que vais sempre la quando eu venho aqui, entao agora venho eu aqui porque foste la.

obrigado pelas tuas palavras. gostei muito.

abraço da leonoreta

8:58 da tarde  
Anonymous azul said...

Tantas as saudades que tinha de te visitar cá neste teu refúgio!
Comecei pelo último e resolvi comentar aqui neste.Tenho a certeza que o momento é de impaciência, e por isso queria que soubesses que fico por aqui a pensar em ti; a aguardar a tua decisão, para depois de dizer:fizeste bem!
Muitos beijos

5:13 da tarde  
Blogger António said...

Para "azul":

Eu é que estava com saudades da tua presença aqui.
Ao longo deste tempo escrevi que me fartei e tenho pena que não tenhas lido e comentado.
Será que o regresso é definitivo ou esporádico?

Beijinhos

9:56 da tarde  
Blogger Bárbara Vale-Frias said...

Querido António, não há nada como deixar de trabalhar cedo e poder gozar ainda uns bons anos de vida com saúde. Digo isto porque minha Mãe reformou-se com apenas 48 ou 49 anos, para poder acompanhar meu Pai na sua estadia de 3 anos em Moçambique. Para ela, foi a melhor coisa do mundo! Rejuvenesceu e até deixou de ter algumas maleitas Loooool A sério!

Mas claro, não há bela sem senão... não se pode ter tudo. Cada coisa tem o seu preço e o preço de uma reforma antecipada é quase sempre um decréscimo no seu valor :-/ Mas, na minha opinião, nada paga ficar para sempre de férias ;)

De qualquer modo, sei que, depois de uma boa reflexão, encontrarás o melhor caminho para ti :)

Bjs. Muitos!

12:59 da manhã  
Blogger Bárbara Vale-Frias said...

Ah, esqueci-me de dizer uma coisa. No que respeita à questão das mulheres sairem sem os maridos para jantares e saídas com colegas... bem, podes até chamar-me conservadora, mas a verdade é que não acho piada alguma a isso. E, felizmente, nem o marido.

O problema, creio eu, não está e ir ou não; mas sim em estar-se do lado de uma pessoa que não pensa da mesma maneira que nós. Digo eu! ;)

1:03 da manhã  
Blogger Mitsou said...

Eu até tenho vergonha de comentar com este atraso todo. Mas comento sim senhor.
Adorei!!!!
Foi como estar a ouvir-te falar do teu dia...tão bem preenchido :)
Boa sorte na decisão e força aí com a próxima novela!
Beijinhos muitos, amigo!

(Amanhã volto com mais tempo, ok?)

11:53 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home