Eu sou louco!

Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças! (este blog está registado sob o nº 7675/2005 na IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais)

A minha fotografia
Nome:
Localização: Maia, Porto, Portugal

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Quero ir para a prisão!

Pus a este blog o nome de “Eu sou louco!”.
Muitos de vós tem-me dito que não tenho nada de louco, que o nome é enganador, que o título não é adequado e feito outras afirmações que vão no mesmo sentido.
Ora eu, praticante antigo e dedicado da introspecção, sei que sou mesmo louco.
E vou-vos provar o que digo!
Uma das minhas grandes fantasias (e não estou a falar de fantasias sexuais) é viver na prisão.
Isso mesmo: estar preso, encarcerado, detido num estabelecimento prisional, ver o sol aos quadradinhos.
Não prisão de anos e anos, porque isso seria demasiado chato, mas durante uma meia dúzia de meses. Talvez um pouco mais.
É uma experiência que deve ser interessantíssima.
E tem algumas vantagens notáveis: sem pagar nada, tem-se cama, mesa e roupa lavada, como se costuma dizer (e ainda assistência médica).
Pode-se ler, escrever, caminhar ao ar livre no átrio, jogar futebol, conversar, dizer asneiras, aprender coisas sobre droga e o tráfico respectivo, verificar (mera observação, entenda-se) como é a homossexualidade nesses locais, tomar conhecimento de como assaltar carros e casas ou mesmo abrir cofres, apurar se é verdade que os bolos ofertados pelos familiares tem limas no seu interior e adquirir bons hábitos (há hora de deitar e hora de levantar).
E não é obrigatório ver televisão, andar de fato e gravata, tomar banho todos os dias, receber telefonemas, sms’s e e-mail’s a toda a hora e momento, andar na filas de trânsito, à chuva, ao sol, ao frio e ao vento, ouvir o chefe a dar ordens imbecis e muito mais que deixo à vossa imaginação.
Há um aspecto negativo: a falta de contacto com mulheres. Mas umas saídas precárias ajudam a ultrapassar esse problema.
Quando se é novo, essa privação é muito constrangedora mas, conforme a idade vai retirando algum vigor e entusiasmo, essa restrição torna-se mais suportável. E quando se é muito mais velho e as carências são mínimas, nem se pensa nisso.
Não é por acaso que alguns velhotes que não tem onde cair mortos se pelam por uma estadia como presidiários. E fazem um assalto ou outro pequeno crime só para poderem ir dentro e desfrutar de algum tempo com umas regalias mínimas de forma absolutamente gratuita. Uma vez cá fora, lá vem a fome, as dormidas ao relento ou em más condições de salubridade e todas as chatices que não tem dentro da prisão. Mais um crimezito e segue-se outro período de sossego e relativa fartura.

E como hei-de eu realizar essa fantasia?
Antes de raciocinar sobre o assunto, deixem-me dizer, como aparte, que navegar meses a fio num navio pode ser uma experiência um tanto semelhante, mas menos radical. Digo-o, embora nunca tenha experimentado nenhuma das duas situações. Por mero palpite.
Vou então tentar descobrir qual a melhor maneira de concretizar esse sonho: o que fazer para ir bater com os costados numa masmorra do nosso tempo?
Parece ser óbvia a resposta: cometer um crime.
Mas que tipo de crime?
O que primeiro me ocorre quando se fala em crime é o homicídio (deve ser por ter visto tantos filmes policiais e lido muitos livros da Aghata Christie). É certo que pode dar uma pena judicial muito grande e um tipo acabar por se chatear de estar lá dentro. Mas é uma hipótese a analisar melhor.
Homicídio!
Mas com que arma? Arma branca?
Não me agrada muito! Fica o chão sujo e as paredes salpicadas de vermelho. Não! É uma porcaria!
Salvo se a vítima tiver sangue azul. Então a cor das borradelas e dos salpicos deixaria de ser o vermelho cor de inferno e passaria a ser o azul cor de céu. E pegando numa pasta dentífrica branquinha, poderia fazer umas riscas brancas e até pareceria que estava no Estádio do Dragão em dia de jogo da bola.
Mas, digo-vos francamente que, quer seja sangue vermelho ou sangue azul, é solução suja que não me agrada. Adiante!
Violação também não!
Ía um tipo para a ala dos violadores e vejam bem o que poderia acontecer. Chiça!
Não! Definitivamente, não! É para esquecer!
E que tal envenenamento?
Com remédio do escaravelho?
Excesso de medicamentos?
Cogumelos?
Parece não ser má ideia. Mas quem pode ser a vítima? Só alguém com quem privemos diariamente para ser um trabalhinho progressivo. Complicado. Desisto!
Posso, no entanto, cometer um crime mais suave para estar menos tempo lá dentro.
Assalto e roubo. Até é possível graduar a pena. Se for à mão armada, dá mais tempo na choça. Sem arma na mão, menos. Acho que começo a chegar ao ponto. E se a vítima for uma velhinha indefesa, é canja!
Penso que já fiz a minha escolha: assalto com um canivete suíço a uma velhota.
Mas convém ser perto de uma esquadra da bófia para eles me deitarem logo a luva e assim já passar essa noite na prisa.
Entrar para lá assim, de supetão, deve ser muito mais emocionante.
E tem a vantagem de, se aparecerem uns malucos a tentar fazer justiça à moda de Fafe, haver logo ali, à mão de semear, quem me defenda.
Mas...
E se os monos fizerem de conta que não viram nada?
O melhor é mesmo fazer o assalto noutro local e depois ir entregar-me, esperando que eles não me mandem embora. Senão, andei eu a tentar fazer um trabalho esmerado, a assustar uma velhinha, com o risco de ela ter um ataque e ir parar à Sociedade dos Pés Juntos e Mãos Postas sita na Quinta das Placas e das Cruzes, para nada. E se a anciã morre com o susto vou preso por homicídio, o que não é o objectivo. Mas é preciso correr alguns riscos.
Continuando a detalhar a minha escolha:
Canivete suíço, já tenho!
Falta a velha!
Onde hei-de encontrar uma velha?
Ora! À porta de um lar da terceira idade. Nem mais!
Resumindo:
Vou assaltar uma velhinha perto de um lar da terceira idade, num local ermo e quando o sol já se tiver escondido ( ía-me esquecendo deste pormenor), com um canivete suíço e, logo de seguida vou-me entregar numa esquadra.

Depois vem o julgamento.
Confesso o crime, digo que não estou arrependido e, com um bocado de sorte, apanho um juiz mauzão que me manda para o xelindró por uma boa temporada. Aqui há outro risco: o juiz mandar-me em liberdade. Se isso acontecer, paciência. Volto à estaca zero.
Enquanto lá dentro, procurarei escrever muita coisa sobre a vida prisional que, naturalmente, quando estiver do lado de fora, verto para o blog. Melhor ainda: posso escrever um livro.
E como já fiz um filho e plantei uma árvore...
(não sei se enterrar um caroço de pêssego na terra de um jardim público conta como tendo plantado uma árvore; com um bocadinho de boa vontade, acho que sim)

Agora quero ver quem ousa dizer que o título “Eu sou louco!” não é o mais adequado!

54 Comments:

Anonymous GR said...

Sim, és muito louco!
Mas esta loucura! Uma fantasia de adolescente, faz de ti um louco diferente!
Mas só mesmo fantasia! Senão vejamos.
Tens lido o Fórum Prisões?
Claro que não!
A tua zona, seria Custóias! Se tiveres a aparência de um homem de cinquenta e tal anos, bem vestido, bom trato, aspecto de homem que para nós será normal, mas para quem está numa prisão, é mais um “brinquedo” para o “Serginho”. Tás tramado!Terás que arranjar dinheiro, roupa, comestível, para o bando que toma conta de ti! Para além dos trabalhos que terás que prestar para os serviços prisionais. Ou lavar o chão, as casas de banho, roupa na lavandaria, refeitório, etc, etc. Horas para dormir, levantar, comer, lanchar, recreio, visitas, etc. etc.. Depois começa a dança, da homossexualidade, quer queiras ou não, nem sequer podes escolher parceiro, se recusares, é pior! Para além da violação, humilhação, levas tanta porrada que te lixas!
Terás que dar dinheiro aos guardas prisionais! A história é sempre a mesma!
Sais de lá, um farrapo! Com sorte só terás ou SIDA, ou HERPES, ou HEPATITE –A ou outra qualquer, humilhado, não aceite pela sociedade, uma crise de nervos e a maldita depressão!
Ao fim de dois anos cá fora, com ajuda de técnicos clínicos, ou estas melhor ou suicidas-te!
Foi assim que aconteceu a um conhecido meu!
Já fui a Custóias ver o personagem que acima referi! Depois de me terem revistado toda e quase me despiam (o que não aconteceu), jurei que jamais iria lá!
Portanto fica só com a tua loucura mas aluga um quarto virado para o Douro e escreve um livro! O Zé Cardoso Pires assim fez. Ganhou muitos prémios literários!

Tens cá uma imaginação!!!
Bjs,

GR

11:15 da tarde  
Blogger António said...

Para "GR":
Ora bolas!
Estragaste a minha fantasia!
(choro convulsivamente)

ah ah ah

Beijinhos

(estás muito bem informada; razões profissionais?)

11:36 da tarde  
Blogger wind said...

Gargalhadas louco:) Muito bom este texto onde irónicamente descreves tudo o que se passa na prisão e os vários tipos de crime. A brincar, a brincar, disseste tudo o que sabemos que existe, as máfias, a podridão, enfim, até como se assalta e como é feita a (in)justiça neste país. Gostei muito "louco":) beijos

12:45 da manhã  
Anonymous GR said...

Há mais de oito anos por razões profissionais, contactei com algumas pessoas que passaram por o pesadelo terrível, a prisão! Questões menores “droga”, é na realidade assustador! Na realidade só entrei uma vez, uma visita de trinta minutos.
Traumatizante!

Mas deixa lá de chorar!
A fantasia continua! Se te reformares, tens muito tempo para escreveres!
Quero um autógrafo teu!

GR

1:26 da manhã  
Blogger António said...

Para "GR":
O meu texto não pode ser uma descrição da realidade das prisões porque a não conheço.
É uma tentativa de fazer humor usando as prisões, o crime e os tribunais como mote.
Eu sei que percebeste isso, mas não quero deixar de o expressar aqui porque isto pode ser lido por mais pessoas.
Nunca me pediram um autógrafo!
Queres um, a sério?
Como contactamos?
(qual a cor da tinta que preferes?)

Beijinhos

9:17 da manhã  
Blogger ka said...

bah.. adorei o texto..
qdo comecei a ler pensei.. onde ele quer chegar???
um texto divertido.. ironico.. e com uma ponta daquela inocencia que nos faz pensar..
perfeitinho!!

beijinhosss!!

muuackkss

9:56 da manhã  
Blogger a sua vizinha said...

Ó vizinho, tenho "filhózes"!...

Depois de arrumar a casa já volto.

10:09 da manhã  
Blogger Xuinha Foguetão said...

Ora bem...

Tenho muito a dizer! :)

Acho que te esqueceste de aspectos negativos de estar na choça.
És bem capaz de levar uns chutos, murros e coisas parecidas.
O teu companheiro de cela poderá cheirar mal por esse mesmo motivo de não querer tomar banho todos os dias.
A parte de tentar perceber externamente a homossexualidade nas prisões poderá não se manter tão externa...
E com certeza se tivesse muito tempo me iria lembrar de mais alguns. ;)

E agora já percebo a pré-reforma!
Seu ganda maluco!
Foi tudo pensado ao pormenor!

Ehehehehehe!

Beijocas aos quadradinhos.

10:16 da manhã  
Anonymous Maria Papoila said...

Olha lá meu Louco, como em tudo na vida, tens de pesar os prós e os contras, os efeitos secundários e alguns passo a enumerar: 1) Não têm vontade de tomar banho todos os dias porque a água quente avaria com frequência e às vezes nem quente sai...2) Como pretendes estar lá pouco tempo, como mero observador, não serás bemvindo pelos verdadeiros criminosos que lá dentro mesmo podem "limpar-te o sebo" a ti próprio.
Quando me lembrar de mais, venho dar-te notícia...
Procura uma viagem transatlântica, que ainda demora uns dias..., como marinheiro, aleija-te num dedo do pé, e ficas de baixa por doença profissional, na enfermaria que é sempre no melhor local do navio...não te esqueças de levar comprimidos para o enjoo...
Gostei muito do texto, e leio-te com regularidade por causa do titulo do teu blog, e do humor com que escreves... Um dos melhores filmes que vi foi o "Doido com Juízo" do Gary Cooper... Beijo

11:35 da manhã  
Blogger Caiê said...

Homem, passa uns quantos cheques sem cobertura que tens prisão garantida... ;)

Mas olha que a vida na prisão não é pêra doce! Sobretudo por causa das violações, porque as há, inevitavelmente... E os guardas prisionais não podem fazer nada (isto quando não entram no jogo). O pai de uma colega minha era guarda prisional e ela bem me disse que essa história não era coisa de filme...

12:22 da tarde  
Blogger Luís Monteiro da Cunha said...

Mas tu estás LOUCO?

Mas deixa lá que não és filho único.
Tudo o que dizes não passam de imitações verdadeiras que acontecem diáriamente. E eu sei do que falo! Hahaha

Boa semana
Abraço

12:41 da tarde  
Blogger lena said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

6:28 da tarde  
Blogger lena said...

António sempre ouvi dizer que de “poetas e de loucos” todos temos um pouco,
eu de poeta pouco tenho, mas de louca tenho muito, não ficarias sozinho nessa loucura, mas numa prisão não, não imaginei esse tipo de fantasia, sou mais de sonhar com a vida no mar, isso uma cabana no mar, onde eu pudesse navegar,
o livro não sei se o escrevia, sou mais de fazer rabiscos e depois logo se vê no que dá

adorei ler a tua "loucura" escreves com tanta emoção que viajo sempre na imaginação das tuas palavras

um beijo meu Sr. "louco" de uma loucura saudável

lena

6:32 da tarde  
Blogger lena said...

não te disse que sou louca?
sem querer dupliquei o comentário e tive que rerirar um
isso um dia vai passar certamente

beijinhos

lena

6:34 da tarde  
Anonymous hodiguitria said...

eheheheh! Ganda maluco! ;)

6:49 da tarde  
Blogger Malae said...

Querido Amigo! Mas que loucura esta a tua! Todos sabemos os problemas que se passam nas prisões... por isso só mesmo tu, as tuas loucuras e a tua escrita para nos fazerem rir com o assunto! Mais uma vez excelente a maneira como conseguiste dar a volta a um texto e fazer humor! :]

Não deixa de ser uma ideia para férias! E só mesmo um assalto assim... corrupção não te garante estadia! =)


E um pequeno comentário ao post anterior (é o que faz lutar contra o tempo! perdem-se os posts!)! Foi um prazer conhecer a senhora Joana! =) Precisavamos de mais senhoras assim... de armas! Para levar o país para a frente! Lembrei-me daquelas cronicas de costumes! O teu estilo inconfudivel!

Beijinhos muito grandes, caro amigo!
Malae**************

PS: Obrigada pelo conselho! Confesso que só depois do que me disseste, reli o poema e percebi que realmente não estava tão simples como pensava. Talvez porque enquanto escrevo, deixo apenas fluir as palavras tendo em conta o que sinto. Realmente não penso muito no que escrevo.É o estilo em que me sinto melhor. Mas vou tentar não me perder muito nos meus pensamentos! Que chegar aos outros quando escrevemos é chave importante! =)

7:08 da tarde  
Blogger Viuva Negra said...

no comments passei mesmo para dizer olá beijinhos e bom natal

7:42 da tarde  
Anonymous Cris said...

António, li o teu texto. Acredita que aquele mundo não é cor de rosa, não é fantástico, não é nada do que possas estar a pensar. Perdoa o tom, mas, se te falo assim, é porque conheço alguém que lá esteve. Nem havia sido condenado a prisão, mas, a consciencia do que havia visto, no que sem pensar por ser um miúdo, participou, levou-o a declarar ao juiz que iria para a prisão. Estava a iniciar arquitectura, na altura. Foi de tal forma duro, horrendo, que ele não deixava que ninguém o fosse visitar, a não ser o seu melhor amigo (ainda hoje o é, passados tantos anos) Falo-te do melhor amigo do meu irmão, de alguém mais do que conhecido e que ficou para todo o sempre marcado por aquele ano. Viu de tudo, foi chamado de tudo, não foi violado, mas foi muitas vezes insultado e ameaçado das piores coisas!
Passava o tempo cosido às paredes e dormia com um olho aberto e outro fechado.
Num ano, António, envelheceu dez anos, ou vinte. A dor do que o fez decidir ir para a prisão não passou e até hoje, apesar de ter uma vida lindíssima, persegue-o. Vemos isso nos olhos dele, apesar de nunca se tocar no assunto. Foi terrível, aquele tempo. Perdoa, António, mas, há fantasias bem mais interessantes. Quem lá está, só quer vir embora.
Não leves a mal, mas, ler o teu texto fez-me pensar no meu amigo, no que ele passou, e, digo-te, foi tudo menos pera doce. E não matou, não roubou.
Aquilo que ele fez, foi um devaneio de garoto. A garota é que optou por esconder e não contar a ninguém. Meteu-se com uma "carniceira" e, quando o nosso amigo foi chamado pela empregada da miúda, aflitíssima, ele só teve tempo de a levar para o hospital...mas...já não se pôde fazer nada.Os pais da miúda, minha colega do liceu, estavam a passar o fim de semana na praia e a única pessoa que a viu naquele estado foi a empregada, que não fez mais nada senão chamar o nosso amigo.
Ele foi ilibado, pagaria com trabalhos à comunidade, mas, optou por ir para a prisão.
Se alguém tiver coragem para lhe perguntar como foi aquele tempo, nem imaginas o sofrimento que lhe vês...
Desculpa mais uma vez, mas, és capaz de fantasias bem melhores do que essa.

Beijo Amigo, António.

7:51 da tarde  
Blogger Su said...

antonio!!!!!!!!!!!tu estás completamente marado:))))))))))))) mas está linda esta tua fantasia (ops nem quero imaginar outras fantasias eeheheh)
já agora um manicómio serve:))))))
eu tenho um:)))))))
mas diz-me, quem te diz que não és louco? és um louco saudavel, desses que a gente gosta:)
jocas maradas

8:44 da tarde  
Blogger Vera Cymbron said...

É tão bom ter-se coragem para ser louco...homem bem hajas!
Jinho

9:20 da tarde  
Blogger Leonoretta said...

ola antonio

perante tanto pormenor tao bem medido e pensado , Maquiavel (no bom sentido, atençao, e nao no sentido pejorativo que as pessoas atribuem ao autor de "o principe")

mas como dizia, Maquiavel nao passa de um aprendiz.

e eu acho que assim vale a pena visitarmos um blog para nos rirmos um pouco.

abraço da leonor

9:47 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querido António

Louco!!! quem ousa dizer uma coisa dessas.

Não!!! só mesmo tu para me fazer rir desta maneira.

ESTÁ O MÁXIMO :))

Beijinhos

11:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Venho assim devagar,sem muito barulho fazer...sem comentar,
apenas te venho deixar o meu A.
A.de tantas coisas bonitas que nos fomos deixando...o A.do nosso nome,e que em tantas graças nos fomos rindo.Verdade que agora já mais longe,verdade que tudo passa,
tem de passar...
As tantas horas que em nada se podem inverter...e aqui venhodeixar-te o que fica em mim de nós,não em forma de tristeza,
não em forma dessa prisão em que tanto gostarias de estar:)
(locura total e tão querida)
...mas na forma de um enorme A.
cheio das coisas todas que sempre
nos fizeram ligar.Aos nossos Ás deste tempo que foi...A ti que
estás em mim,um terno e carinhoso beijinho.

12:51 da manhã  
Blogger GNM said...

LOL

Eu levo-te os cigarros...

Todos temos um pouco de loucura dentro de nós! (mas uns têm mais que outros!!!)

Fica bem e sorri!

12:55 da manhã  
Blogger pinky said...

és louco és! varrido! não te passa o que é a vida numa prisão, eu só tenho uns lamirés de x em qd e chegam para a amostra, é de arrepiar. Ou tens protecção lá dentro, ou então tudo o que queres investigar de longe e de forma poética, bate.te á porta.
Nem penses em concretizar esses planos malucos.
Exprimenta só um dia dar um murro num policia que passas uma noite no xadrez e logo vês!
Juízo!

1:13 da manhã  
Blogger {-Sutra-} said...

Oi estive adoentada nos últimos 2 dias e nem tenho andado por aqui, mas hoje não podia deixar de vir, até porque quero avisar que há novidades no meu site - relacionados com a história da liga à qual achaste imensa graça. Pode ser que agora, que foi revelado o verdadeiro objectivo da oferta da liga, aches ainda mais piada ;-)

Beijo doce

1:36 da manhã  
Blogger nelsonmateus said...

hum!

eu ainda sou do tempo em k 1 canivete suíço ainda era 1 arma branca ... pekena (é verdade) mas era 1 arma branca e ponto final!

se bem k d hoje em dia as coisas evoluem a 1 velocidade espantosa, né?

d hoje em dia já devem existir modelos com lança chamas, gps, leitor MP3 e companhia limitada.

tss! tss! modernices, é o k é!

ps: cuidado com as velhotas ... nem sempre são tão indefessas kuanto parecem!

10:29 da manhã  
Blogger dinorah said...

Tenho uma "resposta" para si no meu blog, mas é temporária...


Adorei este post! (para não variar!!) É só imaginação!
hehehehhee

2:44 da tarde  
Blogger nelsonmateus said...

já agora ... em k "tipo" d prisão é k gostarias d descançar?

prisão domiciliar? prisão d alta segurança? prisão d alto risco? alcatraz talvez???

9:35 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

'Eu sou louco'...todos somos! Essa ideia da prisa está óptima. Amargamente real. Beijos

9:49 da tarde  
Blogger zita said...

Pela PRimeira vez que aqui venho, e falando muito a frio, de quem não viu(leu) mais nada, eu diria que és muito louco mesmo.

zita

12:23 da manhã  
Blogger Betty Branco Martins said...

Querido António

Com muita Amizade te desejo:

UM NATAL FELIZ

E QUE O ANO 2006 te traga muito Amor, Saúde e muita Paz

Beijinhos

3:48 da manhã  
Blogger A_Amante said...

hihihih ta 5 estrelas e o que se formou na minha ideia foi realmente: ele é louco.
Conseguiste, descreves este "fetiche" de uma forma maluca e se um dia o realizares, nao te esquecas depois contar-nos como foi.
Mas olha que deverias ponderam melhor o crime, é q canivete suiço e velhinha acho que nao vai dar mais que uma noite.
Jinhos

9:11 da manhã  
Blogger A_Amante said...

Depois de comentar e ir ler os outros comentarios, quero deixar aqui que gostei muito do comentario anónimo, embora ache que ali muita coisa ta dita apenas para quem o entende, mas gostei.
Tantos As, lembra-me cumplicidade, lembra-me tanta coisa. Gostei muito é so...

9:21 da manhã  
Blogger nelsonmateus said...

ontém a noite ainda estive a pensar no teu caso.

a brincar a brincar, isto pode ser 1 tendência d mercado ... pork nã?

amanhã, em vez d passarmos férias em hóteis d luxos, podiamos passa-las em prisões ... pork não!

10:28 da manhã  
Blogger guga said...

O que me ri com esta loucura.

Sandra

10:36 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Olá António,

Vir encontrar-te na prisão é que não contava! eheheheh

... como o desconhecido nos espicaça a curiosidade e afina a fantasia!

... ou como o menino pequenino saltou cá pra fora e voltou a brincar aos policias e aos ladrões!

Mais uma divagação divertida, com a dose de loucura q.b.

Beijinhos
Ana Joana

3:05 da tarde  
Blogger sonamaia said...

Ainda bem que não passa de 1 fantasia!! Não gostava nada de ter que ir visitar-te à prisão e levar-te os cigarritos da praxe..

Agora que vais ficar livre como 1 passarinho, sugiro que optes pela segunda hipotese e faças 1 cruzeiro e sempre que a "maluqueira" te vier à cabeça, dás 1 mergulho e ela evapora-se...

Todavia gostei do texto pelo realismo e pelo pormenor!!

beijinho

6:29 da tarde  
Blogger ka said...

antonio.. sabe.. penso q o amor q eu falo.. eh diferente do q tu fala.. oq acaba.. eh o apego.. e mtas vezes nos apegamos a pessoas e situaçoes e pensamos estar apaixonados.. mas na verdade so estamos tentando desesperadamente preencher nossos vazios com as fantasias q criamos.. essas sim qdo frustradas podem virar odio..ao menos eu penso assim!
beijinhosss!!!
mmuacckss

9:39 da tarde  
Blogger António said...

Para "sonamaia":

Obrigado pela visita.
Agradeço a ideia de me levares cigarros, mas se levasses coca seria melhor para eu ter uma posição negocial mais forte dentro da jaula.
ah ah ah

Beijinhos

10:27 da tarde  
Blogger nelsonmateus said...

bom! nesse caso é melhor eu ficar calado antes d ser internado (nã numa prisão mas sim num manicómio). ;)

1 abraço

10:31 da tarde  
Blogger António said...

Para "Ana Joana":

Obrigado pela visita!

Cá pelas minhas bandas costuma-se dizer que "o fruto proíbido é o mais desejado".
A comparação não é muito boa mas é o que se pode arranjar de momento...eh eh

Beijinhos

10:51 da tarde  
Anonymous Sandra Oliveira said...

Deixe lá, exite por aí muita loucura pior que a sua, e ainda por cima acham-se sãos.

3:15 da tarde  
Blogger Mocho said...

O nome está adequadissimo. Nem precisavas de te ter justificado desta maneira. Eu já tinha notado antes...ha, ha, ha!!!

10:57 da tarde  
Anonymous betania said...

Ah!Ah!Ah! Mas tu és demais!

Meu caro, às vezes para se ser preso nem é preciso infringir a lei, depende muito da conta bancária, da cor da pele, da posição social, do partido político, etc.

Não sei se te safas!
Beijinhos

9:58 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

Ah grande louco!
E, grande imaginação!!

Sabes, pareces-me uma pessoa que eu conheço (digo-te só a ti, que sou eu...) e, que fantasiava anos a fio que ia ser uma Grande bailarina! Sonhava, sonhava... mas tinha uma outra grande paixão... a equitação, nada compatível... um dia numa correria louca, de quem chegava primeiro, cai da sua égua e parte um pé (felizmente, só isso!) Acabou-se o sonho de grande bailarina, mas também de poder concorrer ao concurso de saltos, para que se andava a treinar...
Hoje´o meu sonho é ser um dia Avó... depois de ser Mãe de dois maravilhoso filhos que tenho...

Pois é... mas concordo ali com o GR... viver na prisão deve ser mesmo "tramado"! Eu gosto de liberdade, sou como os pardais...

Um abraço e um sorriso ;)

2:28 da tarde  
Blogger a sua vizinha said...

Ó vizinho, eu cá não queria dizer mas.... vocemecê é mesmo louco! Veja mas é se muda de ideias se não ainda o metem mas é no manicómio! É melhor eu ficar por aqui senão ainda me sai alguma...

9:32 da tarde  
Blogger Ana Maria said...

eu não duvido aliás reforço tu és louco.
espectáculo.

jinho

4:15 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

GANHOU, ANTONIO! O TITULO, ESTA' O MAIS ADEQUADO POSSIVEL!!!!!

Mas, olhe, que analisando bem... tem varios pontos em que revela bastante "SANIDADE"!!! Mas... enfim... tem 70% de INSANIDADE, logo, faz JUS ao TITULO_*EU SOU LOUCO*_!!!!!! OLhe, eu tambem sou! acho, que quando sair da minha "Hibernacao" e, voltar a colocar algumas letritas no meu bloguito, vou mudar o titulo para :"CONVERSANDO COM UM LOUCO,SENDO LOUCA"!...........
_ANTONIO*, eu, ando com pouquissima vontade de RIR, mas, confesso, foi uma TERAPIA:RI A GARGALHADA!
_Faco alguns destaques:
"Mas com que arma? Arma branca?
Não me agrada muito! Fica o chão sujo e as paredes salpicadas de vermelho. Não! É uma porcaria!
Salvo se a vítima tiver sangue azul. Então a cor das borradelas e dos salpicos deixaria de ser o vermelho cor de inferno e passaria a ser o azul cor de céu."
.........................ISTO E' QUE E' "SADISMO"! e... muita imaginacao!............

"Enquanto lá dentro, procurarei escrever muita coisa sobre a vida prisional que, naturalmente, quando estiver do lado de fora, verto para o blog. Melhor ainda: posso escrever um livro.
E como já fiz um filho e plantei uma árvore...
(não sei se enterrar um caroço de pêssego na terra de um jardim público conta como tendo plantado uma árvore; com um bocadinho de boa vontade, acho que sim)"
.............................
EXTRAORDINARIO!
_Claro, que me apetecia era DESTACA'-LO *TODO*, mas, receio que nao "caia bem"!!!Bom... mas de UMA LOUCA, tambem, nao se pode esperar que faca coisas que, "CAIAM BEM"!!!!!!!
............................
ABRACO-O!
ANO NOVO REPLECTO DE *LIBERDADE* E...*SONHOS TORNADOS REALIDADE*!!!!!!!!

ABRACO DE AMIZADE!
Heloisa B.P.
****************

9:42 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

Ainda volto, para dizer:_"NAO E' QUE A MINHA AMIGA *BETANIA*, TEM RAZAO!??!!!........
_Beijinho, daqui, para a BETANIA E MENINA MAROTA*, se mo permite, MEU BOM ANTONIO*!

_FIQUEM EM HARMONIA E SAUDE!

Heloisa.
**********

9:47 da tarde  
Blogger SaltaPocinhas said...

e se matasses o tempo? irias preso? Mata-o agora que estou de férias e o gajo morto não passa e tu vais para a cadeia escrever um livro sobre a maçonaria e ficas rico e apareces nas revistas do jetessete!!

10:45 da tarde  
Anonymous Cila said...

Ès mesmo louco, adorávelmente louco,
Beijão

5:10 da tarde  
Blogger heidy said...

:) Por vezes na vida, podemos estar presos sem estarmos dentro de 4 paredes. Mas tenho a noção que não ias conseguir estar assim muito tempo. Precisas de voar... a tua mente, preciosa de novas experiências.

9:54 da tarde  
Blogger Zica Cabral said...

que tu eras louco já eu sabia há muito. Mas é uma loucura saudável de que gosto imenso. Eu tb tenho uma fantasia que é fazer uma viagem grande de barco. Não um cruzeiro de luxo mas uma viagem mais simples porém longa. Mas é só fantasia porque sei que não a vou realizar. A prisão está fora de questão porque adoro a liberdade......
Canivete suiço eu tb tenho, é dos bons e nunca me separo dele....como o MacGuiver. Só o ponho na mala de viagem quando tenho que viajar por causa daquelas coisas afiadas que eles agora não gostam........
Beijokas grandes Antonio e espero que nunca tenhas que concretizar a tua fantasia...............nunca estive numa prisão mas pelos relatos não é saudável nem deve ser agradável
Zica

10:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home